Economia

Taxação das blusinhas tem desconto ‘escondido’; veja como vai funcionar compras na Shein, AliExpress e outras

07 jun 2024, 16:07 - atualizado em 07 jun 2024, 16:07
taxação das blusinhas
Taxação das blusinhas foi aprovada pelo Senado e retorna para Câmara antes de seguir para sanção presidencial (Imagem: Proxima Studio/Canva Pro)

O texto final do projeto que definiu a “taxação das blusinhas” foi aprovado, com um dispositivo que proporciona desconto de US$ 20 sobre a tributação em compras com valor acima de US$ 50 e que vão até US$ 3 mil.

Na quarta-feira (5), o Senado aprovou projeto de lei que inclui, entre outros pontos, a taxação sobre produtos importados de até US$ 50. A votação se deu de forma simbólica. O dispositivo que concede o desconto foi inserido pelo relator da proposta Átila Lira (PP-PI) durante a primeira tramitação na Câmara dos Deputados.

Conforme o texto, a taxação dos produtos importados entre US$ 50 e US$ 3 mil será de 60%, com um desconto de US$ 20 no valor total do imposto. Vale pontuar que, na prática, são cobradas duas alíquotas diferentes: de 20% sobre o valor até US$ 50 e de 60% sobre o valor excedente.

Com isso, em uma compra de US$ 51, haveria uma taxação de US$ 30,6 do imposto de importação (60%), contudo, com o desconto de US$ 20, a taxa cai para US$ 10,6.

O desconto é maior nas compras em que o valor excedente está mais próximo do limite de US$ 50, tendo em vista que uma compra de US$ 3 mil contaria com taxação de US$ 1.800, que cairia para US$ 1.780 com o desconto.

Apesar de, em termos nominais, se tratar do mesmo desconto, no primeiro caso a alíquota efetiva é de 20,78%, enquanto do segundo de 59,33%. O dispositivo cria a possibilidade de comprar produtos acima de US$ 50 com uma taxa gradativa no imposto de importação.

Taxação das blusinhas: o que acontece agora?

Com a aprovação no Senado, o texto volta para a Câmara antes de seguir para sanção presidencial, onde passará por uma nova avaliação, devido às modificações que sofreu.

Vale lembrar que todas essas questões se referem ao imposto de importação e há ainda cobrança de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de 17% nas remessas internacionais.

Repórter
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.