Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Telebras desiste de conexão via cabo submarino de fibra ótica entre Brasil e Europa

26/12/2019 - 18:36
O projeto interligaria as duas regiões com um cabo de capacidade de 40 terabytes (TB) por segundo

A Telebras (TELB3; TELB4) desistiu de participar de um projeto de uso de conexão via cabo submarino entre o Brasil e a Europa por falta de recursos, informou a empresa por meio de um fato relevante enviado ao mercado nesta quinta-feira (26).

O projeto interligaria as duas regiões com um cabo de capacidade de 40 terabytes (TB) por segundo, que iria facilitar as comunicações telefônicas e de imagens entre diferentes pontos do território brasileiro e o continente europeu.

A empresa explicou que enviou um carta à parceira Ellalink Ireland para rescindir amigavelmente o contrato anunciado em 2 de janeiro de 2019.

O motivo para a desistência está no fato de que a Telebras foi incluída no “Orçamento Fiscal e da Seguridade Social (OFSS) em 2020, com status de empresa estatal dependente, apesar de todo os esforços despendidos pela Telebras para reverter esta situação”.

Com isso, a empresa ficou impossibilitada de assumir qualquer pagamento relativo ao projeto no ano de 2020.

“A Telebras aguardará a resposta da Ellalink acerca da proposta de rescisão amigável manterá informados seus acionistas, o mercado e o público em geral acerca do fato acima relatado, em especial, na hipótese de extinção do contrato”, conclui o texto.

Ministro da Economia, Paulo Guedes
Segundo o Ministério da Economia, por ser uma estatal, a Telebrás corre o risco de transferir indevidamente recursos públicos para minoritários privados (Imagem: REUTERS/Adriano Machado)

Fechamento de capital

Ministério da Economia recomendou na semana passada que a Telebrás  realize uma oferta pública de aquisição de ações (OPA), com o objetivo de comprar os papéis detidos por minoritários e fechar seu capital. O parecer foi repassado à diretoria da estatal pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações.

Segundo o Ministério da Economia, por ser uma estatal, a Telebrás corre o risco de transferir indevidamente recursos públicos para minoritários privados.

Isto porque, quando a União injeta recursos na companhia, a fim de cobrir eventuais rombos, eles se transformam em receita e, no limite, contribuem para lucros que serão distribuídos aos acionistas.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 26/12/2019 - 20:40