Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Tokenização: você lançaria uma IPO da sua própria vida?

28/06/2020 - 11:00
Dinheiro? Fama? Autoinvestimento? Confira algumas pessoas que venderam partes de si em troca de dinheiro (Imagem: Unsplash/@travisessinger)

Recentemente, famosos começaram a anunciar a venda de “tokens sociais”, que simbolizam o interesse no conteúdo de uma pessoa. Essa moda foi impulsionada pelo anúncio de que Spencer Dinwiddie iria tokenizar seu contrato da NBA por US$ 34 milhões com a venda de tokens SD26.

Mas como isso é possível?

Segundo o site Decrypt, existe uma plataforma chamada Roll, que se apresenta como uma “infraestrutura blockchain para dinheiro social”.

Em nome de seus usuários, a plataforma cria tokens ERC-20, padrão que permite a transferência entre diversas redes, e torna o dinheiro social mais fácil de armazenar.

Cada criador que utilizar a plataforma emite dez milhões de tokens e recebem dois milhões imediatamente, enquanto os montantes serão recebidos mensalmente.

A emissão desses tokens dá infinitas possibilidades para criadores de conteúdo: vender o token ou distribuí-los para seus fãs, negociá-los em corretoras etc.

Assim, tokenização, ou seja, o processo de emissão de um token de blockchain, permite que haja a representação digital de um ativo real e negociável.

Mas o que cada uma dessas pessoas tem a oferecer em troca?

Spencer Dinwiddie vendeu tokens pessoais como o ticker SD26, novo número de sua camisa no Brooklyn Nets em homenagem ao falecido jogador Kobe Bryant (Imagem: Wendell Cruz, USA TODAY Sports/Reuters)

Spencer Dinwiddie ($SD26)

Entusiasta da tecnologia blockchain, o jogador do Brooklyn Nets foi o primeiro a pôr em prática a “capitalização” de sua carreira.

Anteriormente, o plano dele havia sido rejeitado pela NBA, já que era uma violação ao acordo de negociação coletiva da associação. Porém, Dinwiddie firmou uma parceria com a Tritaurian Capital para lançar sua oferta de security tokens (STO).

A venda dos tokens SD26 terminará este mês, segundo publicação do sócio-gestor da Tritaurian Capital, Jim Preissler.

Vantagem: a fim de gerar mais incentivo para que investidores fomentem o engajamento com fãs com essa oferta, detentores do token $SD26 terão experiências exclusivas, como cards colecionáveis digitais, produtos físicos, ingressos para jogos, acesso VIP etc.

Faça a cesta, Dinwiddie!

Detentores do token ALEX podem votar em decisões pessoais do empreendedor, como se ele deveria acordar às seis da manhã todos os dias por um mês (Imagem: Instagram/Alex Masmej)

Alex Masmej ($ALEX)

Em abril, o empreendedor Alex Masmej arrecadou US$ 20 mil com a venda de “tokens pessoais”. Fundador da Rocket, empresa que fornece empréstimos de tokens não fungíveis (NFTs, ou “tokens únicos e insubstituíveis”), ele conseguiu vender 100 mil tokens ALEX para 29 participantes.

Vantagem: investidores do ALEX terão direito a 15% de toda a sua renda pelos próximos dez anos, totalizando US$ 100 mil. O objetivo de Masmej era obter um financiamento para poder se realocar para São Francisco. Assim, investidores de seu token também poderão votar sobre algumas decisões que ele irá tomar.

Empreendedor cripto realiza primeira “IPO humana”
de US$ 20 mil no blockchain Ethereum

 

Ver essa foto no Instagram

 

YouTube https://m.youtube.com/channel/UCRxxkb5W8mHa3Qg9re3RFLQ

Uma publicação compartilhada por ASMR (@sugar_boogerz) em

Laurel Driskill ($TINGLES)

Fenômeno do ASMR no Instagram, Laurel Driskill começou a vender tokens $TINGLE (cujo nome se refere à sensação de arrepio causada por esse tipo de conteúdo, que consiste na produção de sons que podem ser prazerosos para uns e estranhos para outros).

“Para meus seguidores, é uma forma de interagirem comigo. Para mim, é uma forma de criar uma poupança”, afirmou ela.

Vantagem: os superfãs de Driskill podem comprar seus tokens por cerca de US$ 50 dólares para fazer perguntas, pedir conselhos ou acessar seus vídeos exclusivos.

Tokens KERMAN fornecem uma via de mão dupla: investidores o ajudam a arrecadar dinheiro e, em troca, ele fornece consultoria especializada (Imagem: Medium/Kerman Kohli)

Kerman Kohli ($KERMAN)

Amante da tecnologia, Kerman Kohli se apresenta como um inovador precoce e acredita que a interseção entre finanças e tecnologia será a principal tendência do futuro.

Ele possui uma newsletter chamada DeFi Weekly, que possui milhares de seguidores. Com sua oferta de tokens pessoais, ele Kokli deseja alavancar tanto sua carreira como o projeto de outros, incluindo sua liderança na Immutable, empresa conhecida pelo jogo de cards colecionáveis Gods Unchained.

Vantagem: investidores no token KERMAN poderão ganhar 5% da renda gerada pela newsletter, bem como acesso a um canal do Telegram exclusivo, reuniões mensais e consultoria, dependendo da quantidade de tokens adquirida (que varia entre 2,5 mil a 75 mil tokens KERMAN).

Tokens CALVIN são distribuídos a contribuidores e entusiastas de produtos cripto (Imagem: Twitter/Calvin Chu)

Calvin Chu ($CALVIN)

Empreendedor e formado em Economia e Estatística pela Universidade de Chicago, Calvin Chu decidiu fornecer tokens $CALVIN para aqueles que ajudarem com sugestões para sua newsletter dele, Knowledger.

A ideia veio após complicações na conferência ETH Denver devido à propagação do coronavírus.

Vantagem: ele prometeu dar dez mil $CALVIN para quem criasse algum projeto para oito tipos de produtos mencionados pela DeFi Prime.

Recentemente, Chu tuitou que havia votado para que Masmej acorde às seis da manhã durante o mês de julho — fazendo referência à possibilidade de votar sobre decisões da vida de alguém ao adquirir o token da pessoa.

Além disso, afirmou que quem adquirisse $ALEX na plataforma Uniswap e ajudasse nessa votação, deveria enviar uma captura de tela para receber tokens $CALVIN pela plataforma Roll.

CEO da startup Roll usa Taylor Swift como exemplo: a cantora americana poderia emitir tokens $SWIFTIES para seus fãs com acesso a produtos e novidades exclusivas em vez de simplesmente distribuir dinheiro a eles (Imagem: Instagram/Taylor Swift)

Brincadeira ou coisa séria?

Em entrevista ao Decrypt, Bradley Miles, CEO da Roll, startup que hospeda esse tipo de tokens pessoais, afirmou que “é uma forma de recompensar coisas incríveis que estão acontecendo na sua comunidade, como comentários, retuítes, inscrições e doações”.

Apesar de estar em fase beta, Roll fornece cerca de 160 ofertas de tokens sociais, como $ALEX, $KERMAN e $ALEX.

Miles explica que tokens sociais criam um mercado de fidelidade impossível de ser criado com moedas nacionais (fiduciárias).

Ele dá um exemplo: se a cantora Taylor Swift quisesse agradecer seus fãs, “seria estranho se ela desse US$ 30 a eles”. Porém, se ela criasse tokens $SWIFTIES, “seria uma ótima maneira de criar um senso de pertencimento e criar uma comunidade”.

Dependendo do criador, a aquisição de tokens sociais pode ser utilizada ou para investimento pessoal, como é o caso de Masmej — apesar de os detentores de seu token terem votado para que ele começasse a correr —, ou simplesmente como uma forma de engajamento, como Driskill e seus “arrepios”.

Apesar de parecer ser uma novidade, o Decrypt afirma que a ideia é velha. K. Mike Merrill põe muitas decisões de sua vida na mão de acionistas. Em 2008, ele criou uma oferta inicial pública (IPO) humana — e serviu de inspiração para Miles, Kohli e Masmej.

Atualmente, cada ação de Merrill vale US$ 5. Existem cerca de mil acionistas e a capitalização de mercado de Merrill é de aproximadamente US$ 70 mil.

E se a moda pega? Seria o fim de plataformas de financiamento, como Kickstarter, Vakinha ou Apoia-se? Só o futuro dirá.

E você? Faria uma IPO humana da sua vida e deixaria que estranhos opinassem sobre os seus próximos passos em troca de dinheiro?

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 26/06/2020 - 12:12