Internacional

UE está dividida sobre limite de preço ao gás, com 12 países criticando última proposta

10 dez 2022, 15:34 - atualizado em 10 dez 2022, 15:34
Gás
Os países da UE estão realizando negociações de emergência neste sábado para tentar alinhar um acordo para limitar o preço do gás  (Imagem: REUTERS/Lisa Leutner)

Uma dúzia de países, como Bélgica, Itália, Polônia e Eslovênia, está tentando reduzir “significativamente” um limite planejado pela União Europeia ao preço do gás, no momento em que o bloco sofre para fechar um acordo sobre a medida.

Os países da UE estão realizando negociações de emergência neste sábado para tentar alinhar um acordo para limitar o preço do gás em uma reunião marcada para 13 de dezembro entre seus ministros da Energia – mas os Estados seguem divididos sobre o plano.

Doze dos 27 Estados-membros da UE circularam um documento exigindo que o limite de preço seja “significativamente” menor do que a o último meio-termo negociado pelos países.

“O texto não foi longe o bastante na direção do que consideraríamos um acordo satisfatório”, disseram.

O documento, visto pela Reuters, foi apresentado por Bélgica, Bulgária, Croácia, Grécia, Itália, Letônia, Lituânia, Malta, Polônia, Romênia, Eslovênia e Eslováquia.

Os países da UE discutem há meses se limitarão os preços do gás, mas até agora não conseguiram reduzir a distância entre suas visões divergentes.

Os preços do gás na Europa têm crescido este ano, após a Rússia cortar entregas de gás, após sua invasão à Ucrânia, aumentando os custos do combustível e alimentando a inflação.

Mas, enquanto países a favor do limite dizem que a medida protegeria suas economias dos altos custos de energia, a Alemanha – maior economia e mercado de gás da Europa – e a Holanda se opuseram a um limite de preço ao gás, alertando que pode perturbar o funcionamento normal dos mercados de energia e dissuadir produtores de gás a enviar combustível muito necessário à Europa.

O último rascunho de proposta sendo considerado pelos países, visto pela Reuters, ativaria o limite se os preços subissem acima de 220 euros por megawatt-hora por cinco dias, no contrato de primeiro mês do polo de gás Dutch Title Transfer Facility (TTF), e também era 35 euros mais alto que um preço de referência para gás liquefeito natural (LNG, na sigla em inglês) baseado na atual avaliação de preço do LNG.

Isso está abaixo dos 275 euros por megawatt-hora proposto pela Comissão Europeia, mas os 12 países disseram que ainda não é baixo o suficiente.

Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.