Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Usinas e investidores vão pagar 15% de IR nos CBios; só falta a garantia de repasse aos produtores

14/08/2020 - 8:08
Combustíveis/Postos/Etanol
Programa nacional para os biocombustíveis reconquista tributação menor dos agentes (Imagem: REUTERS/Marcelo Teixeira)

O Congresso Nacional derrubou na noite de quinta (14) a tributação de 34% que estava em vigor na comercialização, pelas usinas, dos créditos do RenovaBio, e, também, para os investidores interessados nestes papéis. O imposto de renda dos CBios passa a ser de 15%, taxa que o presidente Jair Bolsonaro havia vetado.

Agora só falta a garantia para os produtores rurais de que as usinas vão repassar aos seus fornecedores os ganhos com os Créditos de Descarbonização (CBios), uma vez que eles voltam a ficar atrativos.

Ao mais que dobrar a tarifa proposta pelo setor e pelos ministérios de Minas e Energia e da Agricultura, derrubada pelos parlamentares, o novo programa nacional para os biocombustíveis poderia ser inviabilizado.

Como base nisso, o deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) propôs o veto, depois da forte mobilização das principais entidades setoriais, como a Feplana, Novabio e Unica.

A segurança que o RenovaBio reconquista, tanto porque as indústrias poderão investir mais quanto pelo estímulo que os investidores terão na compra dos CBios no mercado secundário, é importante para os desafios que o setor está atravessando este ano pela brusca queda do consumo.

Inclusive, com as metas de emissões de CBios para 2020 cortadas pela metade, pouco acima de 14,5 milhões.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 14/08/2020 - 8:34