Comprar ou vender?

Vale mais comprar um carro? BBA corta preço-alvo para Localiza (RENT3); ação cai mais de 10% em 2024

14 mar 2024, 13:22 - atualizado em 14 mar 2024, 13:22
localiza itaú bba rent3
De acordo com o banco, a Localiza pode sentir impactos de incentivos para carros novos; ainda vale compra a ação? (Imagem: Divulgação/ Localiza)

Itaú BBA reduziu o preço-alvo para a Localiza (RENT3) de R$ 80 para R$ 70, após os resultados da companhia no 4T23.

A empresa apresentou um aumento de 59,1% no lucro líquido contábil no quarto trimestre de 2023 (4T23), atingindo R$ 705,6 milhões em comparação com o mesmo período de 2022.

O banco, que segue confiante no longo prazo para a tese, mas esperara uma volatilidade no curto prazo, devido à visibilidade ainda limitada dos preços dos carros seminovos, pelos incentivos aos carros novos.

Dessa forma, a convicção e o posicionamento recorde entre os investidores só são acompanhados pela sua vontade de regressar às ações. Segundo o BBA, isso significa que qualquer fluxo de notícias positivas sobre a depreciação pode se traduzir na entrada de ações e que o preço dos papéis pode ter um piso (provavelmente em R$ 50), criando uma assimetria positiva para investidores de longo prazo.

Desde o começo de 2024, até aqui, a ação tombou cerca de 11%, passando de R$ 61,26 para R$ 54,46 por volta de 12h25 desta quinta-feira (14).



Ainda assim, o banco mantém sua convicção no longo prazo, mas espera que essa volatilidade no segmento de seminovos continue, o que pode limitar o potencial de alta por um tempo. A recomendação para Localiza é de compra, com preço-alvo de R$ 70 e potencial de alta de 28,4%.

Repórter
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Money Times desde março de 2023. Antes disso, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Money Times desde março de 2023. Antes disso, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin