Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Vírus paralisa economia do tamanho da Suécia por terceira semana

11/02/2020 - 17:45
Wuhan
Entre os primeiros centros industriais da China, por muitos anos Hubei cresceu mais rapidamente do que a média nacional (Imagem: Pixabay)

A província chinesa de Hubei está agora na terceira semana de um bloqueio provocado pelo coronavírus que matou centenas de pessoas e paralisou uma potência industrial do tamanho da Suécia.

Cada dia de bloqueio aprofunda a crise da economia da China e, na verdade, do mundo.

O maior produtor de fósforo da China, usado em fertilizantes, tem sede na província, que também concentra a indústria automobilística do país, com montadoras chinesas como Dongfeng Motor e titãs globais como PSA e Honda Motor, que fabricam veículos e componentes.

Entre os primeiros centros industriais da China, por muitos anos Hubei cresceu mais rapidamente do que a média nacional.

O transporte ferroviário, fluvial e rodoviário bem conectado é complementado por uma oferta constante de graduados de várias universidades locais.

Bloquear essa grande área de produção chinesa levanta questões sobre as metas econômicas do governo e sobre multinacionais que dependem da produção da província.

O bloqueio começou em 23 de janeiro, quando o governo ordenou que as pessoas ficassem em casa em Wuhan, capital da província, e que depois expandiu progressivamente as restrições para outras regiões de Hubei.

A província abriga uma ampla variedade de indústrias, além do grande peso do setor de educação.

“A participação da indústria secundária em Hubei é maior do que a média da China e pode impactar a produção industrial em todo o país”, já que não é fácil encontrar substitutos em pouco tempo, disse Xu Gao, economista-chefe da BOCI Securities, em Pequim.

“A magnitude da influência depende do desenvolvimento da epidemia”, disse, acrescentando que o impacto seria de curta duração se puder ser controlado neste mês.

A importância do setor automotivo de Hubei representa um dos maiores riscos na China e no exterior, pois o segmento é vital para a economia em geral e possui uma extensa cadeia de fornecedores. Wuhan é um dos principais centros da indústria automobilística na China.

Mais da metade dos 20 maiores fabricantes globais de autopeças produzia componentes na região antes do surgimento do vírus, segundo a China Automotive Technology & Research Center.

O setor de serviços, composto principalmente por empresas privadas, corre mais risco do que as indústrias. É muito provável que hotéis na China tenham prejuízo, e o setor de restaurantes e catering terá dificuldades para permanecer rentável, de acordo com relatório de pesquisa da Huachuang Securities divulgado na quinta-feira.

“Esses setores de mão de obra intensiva podem criar pressão direta sobre o emprego”, disse Zhang Yu, analista-chefe de macro da Huachang. Enquanto empresas industriais podem acelerar a produção mais tarde para compensar o tempo perdido durante a epidemia, shopping centers, restaurantes e hotéis fortemente dependentes de consumidores terão dificuldade em fazer o mesmo, acrescentou.

Mais de 7 milhões de pessoas estavam empregadas em empresas privadas de Hubei em 2017, de acordo com os dados mais recentes, sendo as vendas no atacado e varejo o maior setor.

Um número semelhante estava registrado como autônomos, ou seja, motoristas de táxi, vendedores de lanches e similares. Com muitos desses negócios fechados no futuro próximo, as perspectivas para empresas e trabalhadores são sombrias.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 11/02/2020 - 17:45