Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Vitória de Trump sem tumultos é melhor resultado para mercado de ações, diz JPMorgan

26/10/2020 - 14:19
JPMorgan
O JPMorgan disse que vários de seus dados, como o registro de eleitores e o humor no Twitter, apontam para uma “corrida cada vez mais acirrada” (Imagem: REUTERS/Lucy Nicholson)

O banco de investimentos JPMorgan espera que o índice S&P500 suba para 3.900 pontos se o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, for reeleito na próxima semana, classificando tal resultado como o mais favorável para os mercados de ações.

Uma alta para 3.900 pontos marcaria um salto de 12,6% em relação ao fechamento do índice na sexta-feira da semana passada.

Uma vitória sem tumultos dos democratas seria “basicamente neutra” para os mercados, disse o JPM em nota recebida nesta segunda-feira, acrescentando: “Vemos uma vitória ‘ordenada’ de Trump como o resultado mais favorável para as ações”.

As chances de uma “onda azul” democrata diminuíram ligeiramente desde meados de outubro. O ex-vice-presidente Joe Biden tem uma vantagem substancial nas pesquisas de opinião nacionais, embora a disputa seja mais acirrada em Estados cruciais que provavelmente decidirão a disputa.

O JPMorgan disse que vários de seus dados, como o registro de eleitores e o humor no Twitter, apontam para uma “corrida cada vez mais acirrada”.

Entre os diferentes setores, o JPM vê as ações de energia e financeiras como as prováveis principais beneficiárias da vitória de Trump.

“Avaliamos que os setores de energia, financeiro e de saúde provavelmente poderiam ver as mudanças mais fortes, uma vez que foram explicitamente referenciados por cada candidato na campanha”, acrescentou o banco.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 26/10/2020 - 14:19