Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

XP indica 9 fundos imobiliários para encarar o fim da quarentena em maio

30/04/2020 - 16:30
fundos imobiliários imoveis prédios edifícios são paulo marginal pinheiros
Carteira defensiva: XP optou por maior exposição a fundos de recebíveis (Imagem: Flickr/Gary Bembridge)

Faltam poucas horas para abril acabar, mas já é possível dizer que os fundos imobiliários se saíram bem. O Ifix, índice que acompanha a variação da cota dos principais fundos, termina o mês com alta de 4%, segundo Renan Manda, analista da XP Investimentos, após uma queda de 16% em março.

O desempenho é ainda mais elogiável, quando se considera que o rendimento de parte das carteiras provém de estabelecimentos diretamente afetados pelas medidas de isolamento social para conter a pandemia de coronavírus, como shopping centers e hotéis.

A XP trabalha com a tese de que a curva de contaminação do Brasil está atrasada em relação à de países europeus e asiáticos. Por isso, a reabertura da economia não será tão imediata. Assim, ao elaborar a carteira recomendada de fundos imobiliários para maio, promoveu algumas mudanças.

“Dadas as incertezas quanto ao crescimento econômico e a restrição ao fluxo de pessoas, continuamos com baixa exposição ao segmento de shopping centers e alta alocação em papéis mais defensivos, de menor risco e menor volatilidade, como o segmento de fundos de recebíveis e de galpões logísticos”, afirma Manda.

Carteira defensiva

Os nove fundos escolhidos para a carteira de maio são distribuídos entre as seguintes categorias: fundos de recebíveis (37,5% da carteira), logística (30%), shopping centers (10%), fundos híbridos (10%), lajes corporativas (7,5%) e fundos de fundos (5%).

A distribuição sinaliza uma troca entre os setores preferidos. Em março, o favorito era o de logística, com 37%. Em segundo lugar, estavam os fundos de recebíveis, com 30%. A preferência por recebíveis, segundo a XP, deve-se ao seu caráter mais defensivo.

A mudança reflete a decisão de Manda de excluir, da carteira de maio, o CSHG Logística (HGLG11) e incluir o CSHG Renda Urbana (HGRU11). O analista afirma que, embora o fundo de logística tenha um bom portfólio de ativos, o potencial de valorização das cotas praticamente se esgotou, após subirem 12% no mês passado.

Já a chegada do HGRU11 se deve à oportunidade de explorar fundos com ativos em áreas urbanas. A XP explica que um diferencial desse fundo é a sua exposição ao setor de supermercados, pouco afetado pela quarentena.

Além disso, outra parte do portfólio é composta por imóveis locados para grandes grupos educacionais, como Yduqs (YDUQ3) e Laureate, que contam com boa capacidade de pagamento.

Veja, a seguir, os nove fundos imobiliários recomendados pela XP para maio.

Fundos Setor Peso (%)
RBRF11 RBR Alpha Multiestratégia Fundo de fundos 5
RBRR11 RBR High Grade Recebíveis 10
CPTS11B Capitânia Securities Recebíveis 10
KNIP11 Kinea Índices de Preços Recebíveis 17,5
XPLG11 XP Log Logística 20
SDIL11 SDI Logística Logística 10
XPML11 XP MALLS Shopping center 10
HGRE11 CSHG Real Estate Lajes corporativas 7,5
HGRU11 CSHG Renda Urbana Fundo híbrido 10

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Márcio Juliboni - 30/04/2020 - 16:30