Agenda do Dia

Meta fiscal de déficit zero está com os dias contados; confira a agenda desta quarta (01)

01 nov 2023, 7:49 - atualizado em 01 nov 2023, 7:49
meta fiscal agenda
Agenda: Haddad deve se reunir com outros ministros da Junta de Execução Orçamentária para avaliar a mudança na meta fiscal. (Imagem: EDU ANDRADE/Ascom/MF)

Para o terror do mercado financeiro e decepção da equipe do Ministério da Fazenda, a mudança na meta fiscal de zerar o déficit público em 2024 já é quase que certa.

Na sexta-feira (27), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva jogou uma bomba no mercado. Durante um encontro com jornalistas, ele afirmou que “dificilmente” o governo chegará à meta fiscal de zerar o déficit público em 2024.

A declaração pegou mal com o mercado que passou a projetar um aumento do risco fiscal no governo do petistas. O Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, até tentou controlar os ânimos, mas não teve muito sucesso.

Ao ser questionado por mais de jornalista sobre a meta estabelecida no arcabouço fiscal, de zerar o déficit público já em 2024, Haddad desconversou e falou que a meta dele estava estabelecida.

“A minha meta está estabelecida […] Para o Ministério da Fazenda nós vamos levar medidas para que os objetivos do governo sejam alcançados”, disse.

Agora, o governo discute mudar meta fiscal de 2024 para déficit de 0,25% ou 0,5% do PIB, segundo informações obtidas pel’O Globo.

A Junta de Execução Orçamentária (JEO), formada pelos ministros Fernando Haddad (Fazenda), Rui Costa (Casa Civil), Simone Tebet (Planejamento e Orçamento) e Esther Dweck (Gestão), deve se reunir na próxima semana para definir qual o melhor momento da mudança da meta fiscal e de quanto será o valor.

Além disso, uma pesquisa realizada pela BGC Liquidez, com 64 instituições financeiras, mostra que a maioria dos analistas espera que haja alteração na meta fiscal, sendo que 45,45% acham que a mudança será feita ainda em 2023 e 47,27%, no ano que vem.

Confira a agenda do presidente Lula desta quarta-feira (01)

Horário Programação Local
09h Reunião com Bancos Públicos Palácio do Planalto
11h30 Assinatura da Sanção ao Projeto de Lei n° 4172/2023, que institui o Pacto Nacional pela Retomada de Obras Inacabadas Palácio do Planalto
16h Chefe do Gabinete Pessoal do Presidente da República, Marco Aurélio Marcola Palácio do Planalto

Economia

Hoje, acontece a segunda etapa da reunião de dois dias do Comitê de Política Monetária (Copom) para definir o futuro da taxa Selic.

Esta fase é reservada para decisões das diretrizes de política monetária, enquanto que as apresentações técnicas de conjuntura aconteceram na reunião de ontem.

A expectativa do mercado é de que o Banco Central opte por seguir o ritmo de cortes na taxa básica de juros, de 0,50 ponto percentual. Com isso, a Selic passaria de 12,75% para 12,25% ao ano.

Mas antes disso, também tem reunião do Federal Reserve e discurso de Jerome Powell. Os economistas projetam que o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) vai optar pela manutenção dos juros no patamar de 5,25%-5,50%.

Além disso, na agenda de indicadores, estão o relatório de emprego ADP nos Estados Unidos, balança comercial aqui no Brasil e PMI Industrial em ambos os países.

Confira a agenda econômica desta quarta-feira (01)

Horário País Indicador
Brasil Reunião do Copom
EUA Reunião do Fomc
06h30 Reino Unido PMI Industrial (Outubro)
08h00 Brasil Índice de Confiança Empresarial (Outubro)
08h00 EUA Índice do Mercado Hipotecário (Semanal)
09h15 EUA Variação de Empregos Privados ADP (Outubro)
10h00 Brasil PMI Industrial (Outubro)
10h45 EUA PMI Industrial (Outubro)
11h00 EUA Gastos de Construção (Setembro)
11h00 EUA Índice ISM de Emprego no Setor Manufatureiro (Outubro)
11h00 EUA Ofertas de Emprego JOLTs (Setembro)
11h30 EUA Relatório de Estoques de Petróleo da EIA (Semanal)
14h30 Brasil Fluxo Cambial Estrangeiro
15h00 Brasil Balança Comercial (Outubro)
15h00 EUA Decisão da Taxa de Juros do Fomc
15h30 EUA Discurso do Powell
18h00 Brasil Taxa de Juros Selic
23h30 Hong Kong Decisão da Taxa de Juros

Editora-chefe
Formada em Jornalismo pela PUC-SP, tem especialização em Jornalismo Internacional. Atua como editora-chefe no Money Times e já trabalhou nas redações do InfoMoney, Você S/A, Você RH, Olhar Digital e Editora Trip.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela PUC-SP, tem especialização em Jornalismo Internacional. Atua como editora-chefe no Money Times e já trabalhou nas redações do InfoMoney, Você S/A, Você RH, Olhar Digital e Editora Trip.
Linkedin