Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Análise de preço do token da Cardano (ADA) — parte 2: aspectos técnicos

31/07/2020 - 11:44
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Os pares ADA/USD e ADA/BTC mostram divergências no volume e no RSI que sugerem por um ímpeto enfraquecido de mercado de alta (Imagem: Twitter/Cardano)

Parte 1

Análise técnica

Possíveis roteiros de desenvolvimento (“roadmaps”) para futuras movimentações de preço podem ser encontrados em cronogramas usando Médias Móveis Exponenciais (MMEs), perfil de volume do intervalo visível (VPVR) e a Nuvem de Ichimoku.

Clique aqui para acessar mais informações sobre as análises técnicas descritas abaixo.

No gráfico diário para o mercado ADA/USD, a MME de 50 dias e a de 200 dias se cruzaram positivamente no dia 16 de maio. Atualmente, a principal cruz de MME indica um mercado de alta após a MME de 200 dias, atualmente a US$ 0,075, que deve servir de suporte.

Apoio significativo de suporte (barras horizontais no gráfico abaixo) também estão na zona entre $ 0,036 e US$ 0,047, com resistência positiva entre US$ 0,146 e US$ 0,177 de pivôs anuais.

O preço também formou uma crescente divergência de baixa sobre o volume e o índice de força relativa (RSI), sugerindo um ímpeto de alta enfraquecido.

Em relação à Nuvem de Ichimoku, existem quatro métricas essenciais: o preço atual em relação à nuvem, a cor da nuvem (vermelho para baixa, verde para alta), as cruzes Tenkan (T) e Kijun (K) e o período de atraso (“lagging span”).

A melhor entrada acontece quando a maioria dos sinais disparam de baixa para alta, ou vice-versa.

O status das métricas atuais da Nuvem sobre quadro temporal diário com configurações duplicadas (20/60/120/30) para sinais mais precisos, indicam uma alta. O preço à vista está acima da Nuvem, então a Nuvem indica uma alta, assim como as cruzes T/K.

O período de atraso está acima da Nuvem e acima do preço à vista. A tendência permanecerá baixa conforme o preço à vista se mantiver abaixo da Nuvem. O suporte de Kijun está em US$ 0,117.

Para o par ADA/BTC, o gráfico diário demonstra métricas de tendências de alta desde que o preço se movimentou acima da MME de 200 dias e da Nuvem diária em meados de maio.

A resistência de alta está entre 1.865 e 2,5 mil sats com base em uma alta local anterior e pivôs anuais. O suporte de VPVR e Kijun varia entre 1 mil e 1,1 mil sats com base no VPVR. 

Além disso, existe pouca divergência de baixa no volume e no RSI, o que sugere um fraco ímpeto de mercado de baixa.

Após anos de desenvolvimento, Cardano recentemente lançou uma rede de testes para staking, Shelley. Se o lançamento com staking na rede principal for bem-sucedido, listagem em corretoras e pools de staking poderão surgir.

Outras fases de atualizações do protocolo também serão lançadas simultaneamente ao longo do tempo, com uma equipe de desenvolvimento bem ativa em comparação a outros blockchains.

Aspectos fundamentais no blockchain e dados do Google Trends aumentaram significativamente nos últimos meses, junto com um aumento no preço.

Aspectos técnicos do pares ADA/USD e ADA/BTC demonstram uma tendência de alta, conforme os preços à vista estão acima da MME de 200 dias e da Nuvem diária.

Os pares ADA/USD e ADA/BTC mostram divergências no volume e no RSI que sugerem por um ímpeto enfraquecido de mercado de alta. Ambos os pares provavelmente vão recuar para o apoio entre US$ 0,09 e US$ 0,11 e entre mil e 1,1 mil sats.

Nos próximos meses, ADA também competirá com a Fase Zero da Ethereum 2.0, a taxa de inflação de 1,8% do bitcoin pós-halving e uma infinidade de outras moedas proof-of-stake.

Mais de 31 bilhões no fornecimento em circulação de tokens ADAs e o lançamento da ITN com recompensas por staking no dia 3 de agosto também poderão impulsionar quaisquer aumentos de preço no futuro próximo após essa data de desbloqueio de tokens.

Cardano atinge marco histórico
no desenvolvimento de seu blockchain

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 31/07/2020 - 11:44