Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Análise de preço do XRP (parte 2): serviços oferecidos pela Ripple

28/07/2020 - 11:22
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Aspectos técnicos para o par XRP/USD são positivos, conforme o preço à vista ultrapassou tanto a média móvel exponencial de 200 dias como a Nuvem diária de Ichimoku. Uma Cruz Dourada, que havia acontecido pela última vez em maio de 2019, pode aparecer na próxima semana (Imagem: Facebook/Ripple)

Parte 1

Ripple fornece um conjunto de ferramentas para soluções empresariais e bancárias, conhecido como RippleNet, incluindo xCurrent, xRapid e xVia.

xCurrent processa pagamentos globais entre bancos para clientes e é análogo ao SWIFT. xRapid, que foi ao ar em outubro de 2019, fornece liquidez sob demanda por meio da compra e da venda de XRP. xVia pode ser usado para enviar pagamentos unidirecionais.

Das três ferramentas, apenas xRapid requer o uso do token XRP. Em outubro de 2019, Ripple anunciou que os serviços poderão ser acessados por meio de um único portal na RippleNet.

No primeiro trimestre de 2020, Ripple teve um aumento de 294% no uso da RippleNet. No início deste ano, SBI Holdings também anunciou planos de integrar MoneyTap, alimentada pela Ripple, com caixas eletrônicos em todo o Japão.

Ripple também está contratando um gerente de produtos para direcionar uma oferta de empréstimos por meio da RippleNet.

Em julho de 2019, Ripple anunciou um investimento de US$ 30 milhões em MoneyGram, anunciando uma parceria estratégica com a RippletNet.

Ripple concordou em fornecer um comprometimento capital à MoneyGram, permitindo que a empresa direcione US$ 50 milhões em troca de uma ação durante um período de dois anos.

Em novembro, Ripple investiu mais US$ 20 milhões na MoneyGram, aumentando sua participação na empresa em 10% e permitindo por um aumento em staking total de 15% no futuro.

Ripple também possui dois outros braços monetários para impulsionar o crescimento do ecossistema, um braço de capital de risco e uma iniciativa universitária de pesquisa em blockchain (UBRI).

O braço de capital de risco, Xpring, investe, incuba, adquire e fornece bonificações a empresas e projetos executados por empreendedores qualificados. Em maio de 2019, Xpring investiu em Agoric, uma plataforma de contratos autônomos.

Outros investimentos públicos da Xpring incluem Dharma, Kava, XRPL Labs, Forte e Bolt Labs. Investimentos recentes incluem a fornecedora de caixas eletrônicos Coinme, Logos Network, a startup de autocustódia Towo Labs e uma infusão de US$ 750mil à carteira BRD.

A UBRI possui US$ 50 milhões em financiamento reservados para pesquisa e desenvolvimento inicial relacionados à Ripple. No total, a UBRI consiste de mais de 40 universidades em todo o mundo e ajudou a lançar mais de cem projetos ativos de diversos assuntos.

Além disso, Rippleworks, uma empresa sem fins lucrativos que foca no financiamento de empreendimentos sociais, foi criada em 2015 por Chris Larsen e Doug Galen.

Rippleworks firmou parcerias com startups e especialistas da tecnologia com 80 empresas diferentes. Em 2019, Larsen e sua esposa doaram 25 milhões de XRP para a Universidade Estadual de São Francisco.

O ecossistema externo do protocolo XRP inclui Interledger, Coil e Codius, em que todas são relacionadas em termos de função de equipes de desenvolvimento.

O protocolo Interledger (ILP) é capaz de enviar pagamentos entre diferentes registros distribuídos e descentralizados e movimenta fundos por meio de intermediárias. Em maio de 2019, Stronghold integrou ILP para emitir a stablecoin Stronghold USD (USDS).

Coil permite que doações com base em cadastramento monetizem conteúdos na internet, sem anúncios ou venda de dados de usuário, e paga sites em tempo real por meio de interface de programação de aplicações (API) para monetização na internet.

Um sistema parecido de micropagamentos para a monetização de conteúdos é usado pelo navegador Brave. Coil usa ILP e Stronghold USD para pagar criadores de conteúdo. No início deste ano, Evan Schwartz, desenvolvedor sênior, deixou a Ripple e foi para a Coil.

Codius é uma plataforma de contratos autônomos e programação autônoma, que permite a interoperabilidade entre blockchains.

Em novembro de 2018, a Bill & Melinda Gates Foundation anunciou planos de usar ILP e Coin, junto com Mojaloop, para levar pagamentos para os sub-bancarizados e desbancarizados.

Em relação à rede, transações diárias aumentaram para quase quatro milhões no fim do ano passado, um aumento quadruplicado em relação ao mês anterior.

Grande parte dessas transações foram geradas pela função “Payment” e “OfferCreate”, transferência de valor e um recurso de câmbio de moedas, respectivamente. O aumento nessas transações provavelmente representa spam ao tentar enviar transações falsas.

Desde janeiro, transações diárias diminuíram para a variação anterior e agora estão próximas de suas baixas mensais. A taxa média de transações (preenchimento no gráfico abaixo) está em US$ 0,00000244, uma das menores para qualquer criptomoeda.

(Imagem: CoinMetrics)

Endereços semanais ativos diminuíram drasticamente desde janeiro de 2018 (linha do gráfico abaixo), mas atingiram uma alta de 18 meses em julho de 2019. O aumento recente nesses endereços pode ser relacionado ao ataque de spam à rede.

Um aumento significativo nos endereços ativos deve ser considerado como um indicador positivo, sugerindo um aumento na demanda pelo ativo. O maior aumento nesses endereços aconteceu entre a metade e o fim de 2017, correspondendo a maiores altas no preço.

Valores médios de transações (preenchimento no gráfico abaixo) na rede se mantiveram entre US$ 1,2 mil e US$ 8 mil desde março de 2018. Por conta das transações mensais em contratos de depósito, esses valores estão um pouco mais altos do que o uso orgânico.

Em dezembro de 2017, valores médios de transação atingiram US$ 65 mil quando a Ripple começou a distribuir os depósitos de XRP a longo prazo.

(Imagem: CoinMetrics)

O valor de 30 dias da rede Kalichkin para estimar a proporção de transações diárias no blockchain (NVT) está em 140 (linha do gráfico abaixo). Transações em depósitos ou arbitragem de moeda na rede XRP podem distorcer, de forma equívoca, ainda mais a NVT.

Uma drástica queda na NVT abaixo e 100 indicaria forte ação de preço, que aconteceu em dezembro e em janeiro de 2018.

Apesar de ser difícil comparar NVT entre moedas, que usam diferentes tipos de transação, a métrica pode ser útil para comparar a utilidade relativa de uma rede ao longo do tempo. Por exemplo, XLM, que usa uma estrutura de rede parecida com XRP, atualmente possui uma NVT de 690.

(Imagem: CoinMetrics)

Em relação à atividade de desenvolvimento, o projeto Ripple possui 77 repositórios no Github com 272 contribuições no último ano por quase 70 contribuidores.

(Imagem: Github/xrpl-dev-portal)

A versão 1.5.0 da Ripple foi lançada em março. Grande parte das contribuições relacionadas a XRP aconteceram no portal de desenvolvimento da Ripple (gráfico acima) enquanto o repositório Ripple teve poucas contribuições no último mês (gráfico abaixo).

(Imagem: Github/rippled)

Grande parte das moedas usam a comunidade de desenvolvedores do GitHub ou GitLab, onde arquivos são salvos em pastas chamadas de “repositórios” ou “repos”.

Alterações a esses arquivos são registradas com “contribuições”, que salvam um registro das alterações realizadas, além de quando e por quem.

Apesar de contribuições representarem quantidade e não necessariamente qualidade, um grande número de contribuições pode significar maior interesse e atividade por desenvolvedores.

O volume negociado de XRP nas últimas 24 horas foi liderado por pares de tether (USDT) e bitcoin (BTC). Volume negociado para pares de XRP é liderado pela Binance, Huobi e Coinbase. Tanto os mercados sul-coreanos com o won coreano (KRW) e o iene japonês (JPY) não possuem prêmios sobre o par com dólar (USD).

XRP teve inúmeros anúncios relacionados a custódia e corretoras desde o fim de 2018, incluindo pares na OKEx, Coinbene, KuCoin, Binance, Bitcoinus, BigONE, Biger, LykkeX, ProBit, BankCEX, Coinbase, Abra, Binance.US e FXCM.

Binance também emitiu o token XRP-BF2 no Binance Chain, negociável na Binance DEX. XRP-BF2 é um token lastreado em XRP de proporção 1:1, que rastreia o valor do ativo nativo no XRP Ledger.

Em junho de 2019, duas corretoras, Gatehub e a cingapurense Bitrue, foram hackeadas em US$ 10 milhões e US$ 4,5 milhões em XRP, respectivamente. Ambas as corretoras estimaram que hackers comprometeram cerca de 100 contas de usuários.

O hack à Gatehub envolveu o comprometimento de carteiras da XRP Ledger por meio da API da Gatehub, enquanto o hack à Bitrue envolveu o comprometimento de contas da Bitrue por meio de um processo de revisão de vulnerabilidades.

Gatehub culpou a vulnerabilidade no XRP Ledger e não irá reembolsar perdas. Por outro lado, a Bittrue planeja reembolsar completamente os fundos roubados.

Além disso, em meados de julho de 2019, a corretora japonesa Bitpoint relatou um hack em carteiras quentes e frias de US$ 32 milhões envolvendo bitcoin, litecoin, ether e XRP. Remixpoint, empresa-mãe da Bitpoint, afirmou que iria compensar clientes pelas perdas.

Exceto por um breve período entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018, dados mundiais no Google Trends pelo termo “Ripple” estão próximos a zero. O aumento em 2018 provavelmente sinalizou uma grande entrada de novos participantes de mercado na época.

Um estudo realizado em 2015 descobriu uma forte correlação entre dados do Google Trend e o preço do bitcoin enquanto um estudo realizado em 2017 concluiu que, quando as pesquisas no Google “bitcoin” aumentaram drasticamente nos EUA, o preço do bitcoin caiu.

(Imagem: Google Trends)

Parte 3

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 28/07/2020 - 11:24