Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Arrecadação federal cai 28,95% e tem pior abril da série histórica por coronavírus

21/05/2020 - 11:27
Receita Federal
Segundo a Receita, esse diferimento teve um impacto de 35,111 bilhões de reais nas contas de abril (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A arrecadação do governo federal teve queda real de 28,95% em abril, a 101,154 bilhões de reais, pior dado para o mês da série histórica divulgada pela Receita Federal, com início em 2007, conforme dados divulgados nesta quinta-feira.

Em função da crise com o coronavírus, o governo possibilitou o atraso no pagamento de uma série de tributos para dar alívio de caixa às empresas e famílias.

Segundo a Receita, esse diferimento teve um impacto de 35,111 bilhões de reais nas contas de abril.

A redução do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre as operações de crédito, outra medida tomada no âmbito do enfrentamento à crise, respondeu por uma diminuição de 1,567 bilhão de reais na arrecadação.

Também houve um crescimento de 25,2% no volume de compensações tributárias em relação mesmo mês do ano passado, o que diminuiu a arrecadação em 10,901 bilhões de reais em abril.

Desde março, as empresas já vinham lançando mão de compensações tributárias para preservarem seu fluxo de caixa antevendo as dificuldades à frente por conta da paralisação dos negócios.

Segundo a Receita, considerando todo o período de vigência das medidas de diferimento adotadas, o impacto total na arrecadação será de 119,328 bilhões de reais.

Ainda em março, o governo anunciou o diferimento, por três meses, para pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), PIS e Cofins e contribuição previdenciária das empresas do Simples.

As outras medidas têm duração de dois meses. Entram nesse grupo o diferimento das contribuições de PIS/PASEP, Cofins e da contribuição previdenciária patronal.

Além disso, o governo também postergou, por 60 dias, a entrega da declaração de Imposto de Renda para Pessoa Física, bem como o recolhimento do imposto e demais créditos tributários.

Nos primeiros quatro meses de 2020, a arrecadação teve recuo de 7,45% sobre igual etapa do ano passado, em termos reais, a 502,293 bilhões de reais.

Na série da Receita, que é corrigida pela inflação, este foi o pior desempenho para o período desde 2017 (495,024 bilhões de reais).

A arrecadação tem sido frontalmente impactada pelo congelamento das atividades em função do isolamento social imposto para refrear o contágio pelo Covid-19. Passado o prazo de diferimento, há incertezas quanto à possibilidade de as empresas quitarem suas obrigações em função da gravidade da crise.

Oficialmente, o governo prevê uma queda recorde de 4,7% para o Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, mas na véspera o próprio secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, ponderou que o recuo pode ser pior que 5%, num momento em que várias instituições têm revisado suas projeções para um tombo cada vez mais profundo

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 21/05/2020 - 11:27

Cotações Crypto
Pela Web