Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

B2W não decepciona e números do segundo trimestre agradam XP

14/08/2020 - 15:14
B2W
Mesmo com prejuízo, o resultado da B2W no segundo trimestre foi forte de acordo com a XP (Imagem: B2W/Linkedin)

O resultado da B2W (BTOW3) não fez feio e agradou a XP Investimentos, revela relatório publicado nesta sexta-feira (14).

Na noite na última quinta-feira (13), a companhia apresentou prejuízo menor de R$ 74,6 milhões no trimestre, ante resultado também negativo de R$ 127,6 milhões um ano antes, menor do que esperado pela XP (R$ 95 milhões).

O analista Pedro Fagundes, que assina o relatório, destacou o avanço nos números do e-commerce, ponto forte da empresa, que ganhou ainda mais relevância durante a pandemia do coronavírus.

As vendas do Universo Americanas (faturamento combinado da Lojas Americanas e da B2W) apresentaram um aumento de 25% na comparação anual, “com desempenho especialmente forte na operação digital (B2W)”, destacou Fagundes.

Lojas Americanas LAME4
Mesmo com um trimestre marcado pela pandemia e o pelo distanciamento social, as lojas físicas apresentaram crescimento nas vendas (Imagem: Money Times/Gustavo Kahil)

Já as venda líquidas somaram R$ 2,3 bilhões no trimestre, queda de 23% em relação ao mesmo período do ano passado. Porém, os números ficaram dentro da expectativa da corretora.

“A evolução positiva se deu apesar do fato de 44% da área de vendas ter permanecido fechada ao longo do trimestre”, afirmou.

Resiliência

Mesmo com o distanciamento social, que atingiu o seu pico entre os meses de abril e maio, as lojas que permaneceram abertas tiveram um crescimento no conceito mesmas lojas de 5,8% no ano (-68,4% para lojas de shopping), em parte impulsionado pelo ajuste de sortimento de produto nas lojas.

Outro ponto destacado pelo analista foi a multicanalidade, que integra operações físicas e online. No período, as vendas por meio das iniciativas “Pegue na Loja Hoje” e “LASA Seller” representaram mais de 17% das vendas do varejo físico.

Apesar dos números, as ações da B2W estão caindo 6,57%, a R$ 113, enquanto a Lojas Americanas tem queda de 5,64%, a R$ 33,31, na tarde desta sexta-feira.

Recomendação

A XP segue com a recomendação de compra para ações da Lojas Americanas, com preço-alvo de R$ 44 ao final de 2020, e neutra para os papéis da B2W, com preço-alvo de R$ 135 até o fim de 2020.

Aceleração do comércio digital

Para o terceiro trimestre, a empresa vê uma expansão mais acentuada do comércio eletrônico, apoiado em parte pela integração de plataformas de produtos de supermercados em seu ecossistema.

A dona dos sites Americanas.com e Submarino anunciou no começo do ano a compra Supermercado Now, especializada em venda online, e no segundo trimestre, a categoria passou a ser a maior em número de itens vendidos, pegando carona nas medidas de isolamento social e superando produtos tradicionais do varejo digital como celulares.

“No primeiro trimestre, a categoria mais vendida em unidades foi a de celulares, mas no segundo trimestre foi tomate, banana e limão”, disse o diretor de relações com investidores da B2W, Raoni Lapagesse, em teleconferência com analistas.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 14/08/2020 - 18:25