Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Bahia quer acionar pacote fiscal para atrair usina cooperativada de Pernambuco

02/10/2020 - 13:17
Bahia oferece vantagens tributárias para novas unidades de açúcar e álcool (Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker)

O governo da Bahia tenta fortalecer seu projeto de aumentar a presença da sucroenergia no estado, depois de já contar com um novo empreendimento greenfield sendo levantado por empresários de Pernambuco. E pensa no cooperativismo.

Também de Pernambuco, a Cooperativa dos Fornecedores de Cana (Coaf), gestora da antiga usina Cruangi, é o modelo que o governador petista Rui Costa pretende, mas que ela própria construa uma unidade.

A região escolhida é o Meio São Francisco, centro-médio baiano, onde o presidente da Coaf/Cruangi, Alexandre Lima, está nesta sexta (2), em comitiva do vice-governador João Leão.

As terras próximas a Ibotirama e Barra são planas e contam com recursos hídricos irrigados do Rio São Francisco. Além da vocação agrícola e projetos de cana em andamento, cujo sistema cooperativista seria para agregar e desenvolver as regiões.

O que chamou a atenção de Lima também é o pacote fiscal “arrojado” do governo, em contraste, por exemplo, ao que o governo de Pernambuco tem negado à usina de cooperados da Zona da Mata Sul, a CoafSul.

O presidente da Coaf/Cruangi vai apresentar a proposta baiana à diretoria e aos 800 cooperados.

A quinta safra da Coaf, após a reativação da Cruangi, multiplicou por 4 a moagem da cana, desde as 291,3 mil toneladas de 2015, gera 4,5 mil empregos diretos e partiu nesta safra para um faturamento esperado de R$ 220 milhões.

Mas o pagamento de um valor extra pela cana, sobre a referência que as usinas tradicionais oferecem aos produtores de Pernambuco, é o que entusiasma o governo baiano.

Todo esse modelo que a Bahia quer deverá ser replicado na CoafSul, de Pernambuco, que contou com a assessoria técnica e institucional da Coaf/Cruangi e a da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), também presidida por Alexandre Lima.

O resultado só não será muito sentido porque o governo de Paulo Câmara nega os 18,5% de crédito presumido de ICMS, que as outras cooperativas (Agrocan é a segunda) conseguem.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 02/10/2020 - 13:23