Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Banco Central autoriza testes com WhatsApp para pagamentos

31/07/2020 - 18:23
Whatsapp Cielo
“A funcionalidade ficará liberada apenas para um grupo limitado de cartões que realizarão transações de baixo valor”, afirmou a Mastercard (Imagem: Divulgação/WhatsApp)

O Banco Central autorizou insituições financeiras a fazerem testes de pagamentos com uso do WhatsApp, serviço de mensageria do Facebook (FB), afirmaram nesta sexta-feira as bandeiras de cartões Mastercard e Visa.

“A funcionalidade ficará liberada apenas para um grupo limitado de cartões que realizarão transações de baixo valor”, afirmou a Mastercard em nota, respondendo a questionamento da Reuters.

A empresa afirmou ainda que, enquanto aguarda a definição oficial da autarquia, “segue contribuindo com o regulador para que o serviço seja liberado para o consumidor final”.

Consultada, a Visa confirmou a autorização, mas não deu detalhes.

Cielo

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pediu à Cielo (CIEL3) e ao Facebook (FB) esclarecimentos sobre um sistema de pagamentos via Whatsapp lançado no país em junho, mas depois bloqueado pelo Banco Central, incluindo o detalhamento das remunerações previstas para cada uma das partes.

Em documento visto pela Reuters, de 23 de julho, o Cade pediu que as empresas respondam aos questionamentos até 10 de agosto.

O órgão de defesa da concorrência pediu detalhamento das “remunerações previstas para cada parte no contrato em apuração, especificando a finalidade e racionalidade econômica para estrutura de cada remuneração e taxa”.

Em princípio, o sistema de pagamentos via Whatsapp seria isento de taxas para transferências entre indivíduos, mas donos de lojas pagariam taxa de 4% por transação.

A Cielo afirmou nesta sexta-feira que não recebeu do BC nenhum comunicado a respeito de uma autorização para testes.

O WhatsApp afirmou que não vai comentar o assunto.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Bruno Andrade - 31/07/2020 - 19:02