Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Bolsa no Brasil só com proteção em dólar, alerta XP

16/04/2021 - 19:18
Dólar
O dólar estava nesta sexta-feira em torno de 5,61 reais, e várias casas de análise dizem que o real ou é ou está entre as moedas mais baratas do mundo (Imagem: REUTERS/Mohamed Azakir)

Os preços do dólar e das taxas de juros não estão tão distantes de onde deveriam, mesmo considerando o elevado prêmio de risco em ambos, já que a aguda incerteza sobre o futuro das contas públicas continua a desafiar elaboração de cenários e desestimula grandes posições estruturais nesses mercados, disse Bruno Marques, sócio e gestor dos fundos multimercados macro da XP Asset.

O dólar estava nesta sexta-feira em torno de 5,61 reais, e várias casas de análise dizem que o real ou é ou está entre as moedas mais baratas do mundo. E no mercado de DI os juros de longo prazo já se aproximam de dois dígitos, muito distantes da taxa de 2,75% da Selic atual.

“A situação do governo não é fácil. Temos visto um governo frágil e flertando com medidas não responsáveis, diria”, afirmou o gestor. “Chamam atenção a completa falta de urgência de que temos um problema fiscal muito grande e o flerte constante com o abismo.”

Jair Bolsonaro
“Temos visto um governo frágil e flertando com medidas não responsáveis”, afirmou o gestor (Imagem: REUTERS/Adriano Machado)

Marques disse que os preços de mercado já indicam para o fim de 2022 uma Selic em torno de 8%. Na curva a termo, os contratos em vencimentos mais dilatados apontam taxas entre 9% e 9,5%.

As melhores e as piores ações do Brasil. Veja aqui.

“Existe esse prêmio sobre o juro terminal, só que não é um prêmio tão extraordinário assim. Você imagina que um país de dívida alta vai estar sempre premiado”, afirmou o gestor, calculando que esse juro a mais aqui dificilmente fica abaixo do intervalo entre 150 pontos-base, 200 pontos-base.

O ganho de prêmio também é visto na inflação. Segundo ele, a inflação implícita de longo prazo já está em 5,20%, bem acima da meta.

Supermercado Alimentos Inflação
Segundo ele, a inflação implícita de longo prazo já está em 5,20%, bem acima da meta (Imagem: Agência Brasil/Tânia Rêgo)

A incerteza sobre o cenário fiscal em meio a crises “sem fim e a cada 48 horas” levou Marques e seu colega de gestão Julio Fernandes a zerarem posições em juros.

“É a primeira vez em cinco anos que não temos posição no mercado de juros. Sempre tem oportunidade; agora, não”, afirmou Marques, referindo-se aos fundos macro geridos pela dupla.

Entre fundos com mandato exclusivo para juros, há posição aplicada em DIs curtos e intermediários “para tentar monetizar esse prêmio”.

“Os prêmios são altos por fundamento. Não tem nenhuma urgência da classe política de impedir o que parece ser a morte certa. Se a gente não fizer nada, a gente vai bater no muro, a gente vai bater no muro e vai pegar fogo”, alertou. “Assusta a completa falta de urgência nesse cenário”, reforçou o gestor.

Câmbio como hedge

A falta de certeza para operar no mercado de juros se estende ao de câmbio, segundo Marques, e o viés atualmente é de usar o dólar como proteção.

Dólar
A falta de certeza para operar no mercado de juros se estende ao de câmbio, segundo Marques, e o viés atualmente é de usar o dólar como proteção (Imagem: REUTERS/Thomas Mukoya)

“A gente tem tentado manter posições compradas em dólar, porque nos protegem na posição que a gente acha que é a única posição boa em Brasil, que é a posição comprada em bolsa”, afirmou o gestor. “A melhor alocação no Brasil, na nossa opinião, é comprada em bolsa e buscando proteção.”

Mesmo a alta de juros não deve reverter o curso do real, que cai 7,8% ante o dólar neste ano, num dos piores desempenhos globais.

“Acho que (a alta de) juros afeta um pouco o real, os juros até pioraram mais que o câmbio no ano, mas não acho que vai ser uma Selic de 5% que vai resolver isso. Nosso problema não é só juros, até porque o mercado já precifica isso (alta da Selic). Já tem bastante coisa no preço”, ponderou.

Para Marques, o mercado está atualmente numa situação em que se agradaria com um movimento do governo de “voltar para o zero”.

“Neste primeiro momento só de você tirar as pressões negativas o mercado já melhora. Só de não ter risco de caminhar para o lado errado já melhora”, disse, referindo-se ao cumprimento do teto de gastos e à elaboração de peças orçamentárias “não criativas”.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Bruno Andrade - 16/04/2021 - 19:18

Pela Web