Exportações

Brasil abre 4 novos mercados para o agro na Ásia neste início de 2024; confira

25 jan 2024, 9:00 - atualizado em 24 jan 2024, 17:47
agro exportações Ásia novos negócios mercados
2023 foi marcado por recordes na abertura de mercados para o agro, com autorizações para exportação de 78 novos produtos para 39 países (Foto: Mapa)

O agronegócio brasileiro iniciou 2024 com a abertura de quatro novos mercados para as exportações de seus produtos.

Nesta semana, o governo federal foi autorizado para exportar bovinos vivos, embriões de bovinos (in vivo e in vitro) e sémen bovino para o Paquistão, além de alevinos de tilápia para as Filipinas.

Em 2023, o Paquistão importou US$ 298 milhões do Brasil. Entre os principais produtos destacam-se fibras e têxteis, o complexo soja e produtos florestais, que corresponderam a 83% das exportações brasileiras ao país asiático.

  • As ações que devem sofrer com o El Niño (e La Niña): Analista comenta os efeitos dos fenômenos climáticos para alguns setores e empresas da bolsa brasileira, e o que fazer com os papéis agora. Confira no Giro do Mercado:

Já a Filipinas continua um dos importantes mercados para a carne do Brasil. Com exportações equivalentes a US$ 918 milhões no ano anterior, as proteínas representaram 76% do que foi consumido pelos filipinos do Brasil.

O mercado de bovinos vivos, aberto neste mês para o Paquistão, gerou uma movimentação de US$ 488 milhões para o país no mercado mundial em 2023, refletindo um aumento de 154% em relação ano de 2022.

“Com a retomada das relações diplomáticas, 2023 foi um ano marcado por recordes na abertura de mercados no mundo. Neste ano, com o apoio do ministro Carlos Fávaro, buscaremos ainda mais novas oportunidades para os produtores do agro nacional exportarem dezenas de produtos e acessarem destinos até então inéditos, gerando renda e emprego em todo o país”, destacou Roberto Perosa, secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura.

Repórter
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Money Times desde março de 2023. Antes disso, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Money Times desde março de 2023. Antes disso, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin