Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Canopy Growth tem prejuízo acima do esperado, com atraso em novos produtos de cannabis

29/05/2020 - 15:29
Logo da Canopy Growt
A participação no mercado recreativo da Canopy caiu dos 20 para a faixa ao redor dos 18 anos (Imagem: REUTERS/Chris Wattie)

A Canopy Growth Corp reportou nesta sexta-feira prejuízo trimestral acima do esperado, com a divisão de cannabis recreativa perdendo participação de mercado em razão do atraso no lançamento de produtos.

A companhia também abandonou a meta de registrar Ebitda positivo ao final do ano fiscal de 2020 em razão de incertezas relacionadas à crise de coronavírus.

Esperava-se que a pandemia de Covid-19 favorecesse as empresas de cannabis, com clientes estocando brownies de maconha e outros produtos para lidar com as medidas de confinamento.

Mas os atrasos no lançamento dos ‘produtos 2.0’ da Canopy, que incluem os brownies, bebidas e vapes muito procurados, atingiram a receita da divisão recreativa da empresa e reduziram a receita como um todo em 13% ante o terceiro trimestre.

Além disso, a empresa teve que fechar temporariamente a maioria de suas lojas de varejo em meados de março e está no meio de um programa de reestruturação, com desinvestimentos e demissões na esperança de se tornar lucrativa.

A participação no mercado recreativo da Canopy caiu dos 20 para a faixa ao redor dos 18 anos, disse o vicd-presidente financeiro, Mike Lee, a analistas. “Simplificando, perdemos oportunidades”, disse.

O prejuízo líquido atribuível à Canopy aumentou para 1,30 bilhão de dólares canadenses (946,21 milhões de dólares) no trimestre encerrado em 31 de março devido a encargos por desvalorização e reestruturação de 743 milhões de dólares canadenses.

Excluindo os encargos, o prejuízo foi de 1,55 dólar canadense por ação, muito maior do que a estimativa dos analistas, em média, de 0,59 dólar canadense por ação, segundo dados da Refinitiv.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Leia mais sobre: Economia, Empresas, Maconha, Refinitiv, Reuters

Última atualização por Bruno Andrade - 29/05/2020 - 15:29