Carnaval

Carnaval 2024: Proteja o app do seu banco antes de cair na folia; veja passo a passo

09 fev 2024, 13:44 - atualizado em 09 fev 2024, 13:44
celular app segurança carnaval
Cerca de 74% dos brasileiros já deixaram de participar de alguma comemoração no Carnaval por receio de fraudes e roubos (Imagem: Getty Images)

Um dos feriados mais queridos pelos brasileiros finalmente chegou. Dos dias 09 a 13 de fevereiro, muitos foliões vão poder aproveitar os blocos de rua e festas de Carnaval pelo Brasil afora. Mas, infelizmente, quem também acaba fazendo a festa nesses momentos são os golpistas.

Em confraternizações como essa, o uso do celular acaba sendo inevitável, principalmente para facilitar pagamentos, o que acaba se tornando uma oportunidade para os mal intencionados. Segundo um estudo realizado pelo Serasa, em 2023, cerca de 74% dos brasileiros já deixaram de participar de alguma comemoração no Carnaval por receio de fraudes e roubos na data.

Pensando nisso, a equipe do Money Times reuniu as principais dicas para proteger as contas bancárias dos foliões.

Ajustar limite do Pix

Vale lembrar que, em todos os bancos, seja via aplicativo ou internet banking, há uma funcionalidade de limites de transferência Pix que pode ser configurado independentemente de qual instituição a pessoa seja cliente. Dessa forma, já é possível bloquear alguma ação na conta.

Aplicativos de bancos que fornecem ferramentas

Nubank

Utilizado por muitos brasileiros, o Nubank possui uma ferramenta chamada Modo Rua. Com ela, é possível determinar um valor máximo de transações quando não estiver em casa ou fora de redes de conexão confiáveis.

Para ativar, basta:

  • Acessar o menu de segurança do app e selecionar o “Modo Rua”
  • Depois, selecione as redes de internet confiáveis as quais costuma utilizar
  • Estabeleça o limite de transações

Mercado Pago

O Mercado Pago é outro que possui funcionalidades que protegem o seu cliente. No aplicativo, é possível adicionar uma “Pessoa de Confiança”. Ou seja, quando o dono da conta não puder acessar a sua conta por conta de furtos, essa pessoa que estará cadastrada no aplicativo pode reportar o problema de forma rápida ao banco.

Para ativar, basta:

  • Ir no seu perfil do banco
  • Selecionar o aba “Segurança”
  • Depois acessar “Pessoas de Confiança”
  • E convidar a pessoa de segurança

Seguros para contas bancárias

Pic Pay

O Pic Pay possui um recurso chamado Seguro Carteira Digital, que custa de R$ 5,60 a R$ 20,50 por mês e pode ser personalizado para o tipo de proteção que deseja. Basicamente, ele impede transferências, inclusive de saldos de outros bancos (disponibilizado via Open Finance). O seguro ainda pode cobrir riscos cibernéticos e proteção ao cartão de crédito.

Eles possuem também o Seguro Celular, a partir de R$ 9,90, com reembolso do saldo, em caso de furtos e roubos.

Sicoob

O Sicoob disponibiliza aos seus clientes o Seguro Transações, que protege as movimentações financeiras digitais e operações que envolvam boletos bancários, vouchers e duplicatas. O produto também ampara se a pessoa realizar saque ou compras sob coação ou grave ameaça física. A contratação pode ser realizada pelo Super App Sicoob, pelo valor de R$ 5 mensais.

BB Seguros

O BB Seguros oferece também um seguro por R$ 9,90 que cobre roubo ou furto qualificado de bolsas e dos itens que estiverem listados na contratação do produto – celular, carteira e o que mais o cliente desejar.

Aplicativo Celular Seguro do Governo Federal

Esse é o aplicativo do governo que impede o uso do aparelho celular em caso de roubo por meio da linha telefônica, bloqueando inclusive apps de bancos.

Confira o passo a passo para usar o aplicativo:

  • Passo 1: Baixar o app “Celular Seguro”na loja de aplicativos do seu celular (Google Play, para Android, ou App Store, para iOS);
  • Passo 2: O log-in deve ser feito pela conta gov.br, dessa maneira, quem não tem deverá criar. É preciso aceitar os termos de uso;
  • Passo 3: Registrar o número do celular, podendo ser mais de um, contanto que esteja atrelado ao CPF;
  • Passo 4: O cadastro de uma pessoa para realizar denúncia no lugar da vítima é opcional. Caso o faça, a pessoa deve ter cadastro no gov.br e baixar o aplicativo;
  • Passo 5: Em caso de roubo, furto ou perda, a vítima ou a pessoa de confiança cadastrada pode criar a ocorrência;
  • Passo 6: O aplicativo irá noticiar a Anatel e bancos parceiros, além de gerar um protocolo.

Vale destacar que, para que o sistema de bloqueio funcione adequadamente, é preciso que a linha telefônica esteja vinculada ao CPF.

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua há 3 anos na redação e produção de conteúdos digitais no mercado financeiro. Anteriormente, trabalhou com produção audiovisual, o que a faz querer juntar suas experiências por onde for.
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua há 3 anos na redação e produção de conteúdos digitais no mercado financeiro. Anteriormente, trabalhou com produção audiovisual, o que a faz querer juntar suas experiências por onde for.