Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

China eleva previsão de importação de milho em 2020/21 a 22 milhões de toneladas

09/04/2021 - 11:11
Agronegócio Grãos Soja Exportações Porto
A China deve importar 22 milhões de toneladas de milho no ano 2020/21, segundo o ministério (Imagem: Reuters/Stringer)

O Ministério da Agricultura da China mais que dobrou nesta sexta-feira sua previsão para as importações chinesas de milho em 2020/21, refletindo a demanda em meio a preços mais altos.

A China deve importar 22 milhões de toneladas de milho no ano 2020/21, segundo o ministério.

Comerciantes e produtores de ração chineses estão comprando grãos para ração no mercado global, incluindo milho, cevada e sorgo, à medida que o cereal doméstico disparou para níveis altos devido à oferta escassa e demanda firme de um plantel suínos em rápida recuperação.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) já projetou que as importações de milho da China na campanha de comercialização de 2020/21 atingiriam 24 milhões de toneladas.

Abrão Filho aumenta 135% sua receita em 2021

No curto prazo, a oferta e a demanda do milho doméstico estarão basicamente equilibradas, e é improvável que os preços do milho subam ou caiam significativamente, disse o ministério.

O ministério também elevou sua previsão de produção de óleo comestível na campanha de comercialização de 2020/21, para 28,49 milhões de toneladas, um aumento de 1,26 milhão de toneladas em relação à estimativa anterior, já que mais cargas de colza de países como a Rússia devem entrar, de acordo com o comunicado.

A China projeta trazer 9,33 milhões de toneladas de óleo comestível, 880 mil toneladas acima da previsão do mês passado, principalmente porque os estoques comerciais no país estavam em níveis historicamente baixos e a demanda por importações era forte, acrescentou.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 09/04/2021 - 11:11

Pela Web