Cinco fatos sobre as correções de preço do bitcoin para investidores cripto

02/02/2021 - 14:29
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
O bitcoin está em seu ciclo de alta (ou “bull market”), mas isso não significa que o preço não pode retrair para níveis mais baixos. Rekt Capital explica por que essas correções são um componente natural e saudável durante um ciclo de alta (Imagem: Unsplash/nampoh)

Mercados de alta (ou “bull markets”) de bitcoin são empolgantes. Não existe sensação melhor para os “bitcoiners” do que acordar com a possibilidade de novas altas recordes. Porém, é importante entender que, mesmo em um ciclo de alta, o preço nunca segue uma linha reta.

Na verdade, correções de preço são um componente natural, saudável e necessário de um ciclo de alta. Quando a correção acaba, o preço do bitcoin pode subir novamente e atingir novas altas.

Neste artigo, dividimos o “bull market” do bitcoin de 2017 em trimestres (T) para ilustrar diversas percepções fundamentais sobre as correções da criptomoeda e as tendências de alta que as precedem.

1) Tendências de alta duram mais do que as correções

(Imagem: TradingView)

Ao longo do mercado de alta de 2017, o bitcoin passou grande parte de seu tempo em uma tendência de alta (verde) em comparação ao tempo em correção (vermelho).

Na verdade, ao longo desse ciclo de 2017, o bitcoin passou um total de 267 dias em alta e apenas 98 dias em baixa.

Isso significa que, no ano, o bitcoin ficou 73% em uma tendência de alta!

O tempo médio que o bitcoin ficou em alta em 2017 foi de cerca de 50 dias.

2) Correções são algo normal

(Imagem: TradingView)

Em 2017, o bitcoin passou por cinco grandes correções.

Embora a retração mais curta tenha demorado apenas três dias, a correção mais longa durou apenas mais de um mês.

Na verdade, o tempo médio que o bitcoin sofreu uma retração foi de 16 dias.

Ao todo, em 2017, o bitcoin só passou 98 dias em período de correção, apenas 27% do ano.

Correções não são apenas mais curtas que as altas, mas também encurtam conforme o mercado de alta progride.

Sem dúvidas, correções se tornam mais breves no decorrer do ano conforme a pressão por vendas começa a atingir proporções eufóricas.

3) Cada trimestre passa por pelo menos uma grande correção do bitcoin

(Imagem: TradingView)

Em 2017, o bitcoin sofreria retrações pelo menos uma vez por trimestre.

Porém, tornou-se mais comum que a criptomoeda passasse por duas correções por trimestre (1T, 3T e 4T).

O único trimestre em que o bitcoin passou por uma única forte correção em 2017 foi no segundo. Correções não são apenas uma ocorrência normal em mercados de alta do bitcoin, como também tendem a acontecer de forma cíclica.

4) Correções tendem a acontecer no fim de um trimestre

Embora algumas correções do bitcoin comecem no início de um trimestre (como no primeiro e no segundo trimestre), o bitcoin passou por uma correção próxima ao fim de cada trimestre em 2017.

A única vez em que o bitcoin sofreu uma retração no meio do trimestre foi no quarto trimestre, apesar de breve.

5) A profundidade das correções varia entre -30% e -40%

(Imagem: TradingView)

No mercado de alta de 2017, o bitcoin passou por cinco grandes retrações que variaram entre -29% e -40%.

A correção média durante o ciclo de alta foi de -35%.

Dito isso, não importa quão drásticas foram essas retrações: cada uma precedeu uma alta recorde no preço do bitcoin.

Neste momento, o bitcoin está passando por sua primeira grande retração neste ciclo de alta.

A retração foi de aproximadamente -31%, o que é normal pelos padrões de histórico de preço da criptomoeda.

Embora seria saudável que o bitcoin sofresse ainda mais retrações, o histórico sugere que essa correção será precedida de outras altas exponenciais.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 02/02/2021 - 14:29

Pela Web