Investimentos

Como preparar sua carteira de investimentos para 2022?

29 dez 2021, 8:04 - atualizado em 29 dez 2021, 8:04
apertar carteira
Mercado não espera nenhum grande ganho no curto prazo e a Bolsa de Valores brasileira pode causar ainda muita dor de estômago daqui até as eleições (Imagem: Pixabay/stevepb)

O ano de 2022 promete um mix de fatores que podem trazer dúvidas ao investidor, como as projeções de baixo crescimento da economia, inflação alta, eleições. O que esperar neste cenário macroeconômico de incertezas e como ele está impactando os investimentos?

A pedido do Money Times, o estrategista-chefe da VLGI Investimentos, Leonardo Milane, dá algumas dicas para o investidor dormir tranquilo no próximo ano.

“É normal na vida do investidor essa dinâmica. Não é todo ano que ele vai fazer crescimento de dois dígitos. Existem períodos em que o crescimento vai ser negativo e é normal”, afirma.

Segundo o economista, a renda fixa e investimento dolarizado são as duas classes de ativos que devem dar o maior conforto para o investidor neste período.

E a Bolsa? “É verdade que as maiores oportunidades em Bolsa surgem em meio às crises e que os preços de alguns ativos já estão bem baratos. Mas é necessária muita cautela”, adverte Milane.

Em 2022, o mercado não espera nenhum grande ganho no curto prazo e a Bolsa de Valores brasileira pode causar ainda muita dor de estômago daqui até as eleições. Dependendo do perfil do investidor, é preferível esperar um pouco mais.

Nos últimos meses, a confiança se deteriorou bastante e existe uma percepção dos agentes econômicos que não vai se inverter do dia para noite. Uma máxima em economia diz que a confiança é quem dita o futuro.

“O empresário que tinha algum projeto quase saindo da gaveta com a reabertura da economia — aquele projeto de investimentos, compra de maquinário, abertura de uma filial, contratação de mais pessoal — vai aguardar um pouco mais”, exemplifica.

Entretanto, o economista avalia que quando um novo fato positivo surgir no horizonte, é quando as boas oportunidades podem aparecer.

“Vai fazer muito sentido o investidor estar perto de um especialista para poder dar o toque, avisar que chegou o momento de realocar a carteira. Em algum momento a realocação vai ser para a Bolsa. É nesses momentos em que surgem as maiores oportunidades”, recomenda.

Disclaimer

Money Times publica matérias de cunho jornalístico, que visam a democratização da informação. Nossas publicações devem ser compreendidas como boletins anunciadores e divulgadores, e não como uma recomendação de investimento.

Repórter
Repórter de renda fixa do Money Times e Editor de agronegócio do Agro Times desde 2019. Antes foi Apurador de notícias e Pauteiro na Rede TV! Formado em Jornalismo pela Universidade Paulista (UNIP) e em English for Journalism pela University of Pennsylvania. Motivado por novos desafios e notícias que gerem valor para todos.
Linkedin Instagram Site
Repórter de renda fixa do Money Times e Editor de agronegócio do Agro Times desde 2019. Antes foi Apurador de notícias e Pauteiro na Rede TV! Formado em Jornalismo pela Universidade Paulista (UNIP) e em English for Journalism pela University of Pennsylvania. Motivado por novos desafios e notícias que gerem valor para todos.
Linkedin Instagram Site