Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Confira métricas e análise de preço da criptomoeda DCR

04/09/2020 - 12:14
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Métricas do blockchain aumentaram significativamente desde agosto, o que pode ser uma combinação de corretoras descentralizadas (DEXs), privacidade e iniciativas de staking. Aspectos técnicos tanto para o par DCR/USD como para o DCR/BTC mostram uma tendência de baixa (Imagem: Crypto Times)

Parte 1

Em relação à rede, o atual número de transações por dia (linha vermelha do gráfico abaixo) entrou em uma tendência de baixa desde o início de 2018 e, atualmente, está próximo a baixas multianuais.

A alta recorde para transações por dia foi de quase 10,5 mil em outubro de 2016. O valor médio das transações diárias (preenchimento verde do gráfico abaixo) se manteve acima de US$ 1.250 desde janeiro de 2018, mas caiu abaixo de US$ 550 este ano.

Taxas de transação, coletadas por mineradores proof-of-work (PoW), estão variando em 0,00943 DCR por transação, ou US$ 0,127.

(Imagem: CoinMetrics)

O valor da rede Kalichkin nos últimos 30 dias para estimar a proporção de transações diárias no blockchain (NVT) (linha vermelha do gráfico abaixo) diminui para uma baixa recorde nas últimas semanas e, agora, está em 66.

Pontos de inflexão na NVT podem ser indicadores essenciais de uma reversão no valor de um ativo.

Uma clara tendência de alta na NVT sugere que uma moeda está sobrevalorizada com base em sua atividade econômica e utilidade, o que pode ser considerada como um indicador negativo de preço enquanto uma tendência de baixa na NVT sugere o oposto.

Endereços mensais ativos aumentaram drasticamente em agosto de 2019 (preenchimento em verde do gráfico abaixo), provavelmente relacionados ao lançamento do recurso de privacidade CoinShuffle++. Agora, esses endereços estão próximos a altas recordes.

Endereços ativos e únicos são importantes de se considerar ao determinar o valor fundamental da rede usando a lei de Metcalfe. Um aumento repentino e contínuo em endereços ativos fornece um panorama positivo, pois isso indica um drástico aumento no uso ou interesse do blockchain.

(Imagem: CoinMetrics)
(Imagem: Github – dcrd)

Em relação à atividade de desenvolvimento, DCR possui 79 repositórios (ou “repos”) na plataforma Github, com mais de 550 contribuições (ou “commits”) ao repositório principal, dcrd (gráfico acima), no último ano.

O repositório Politeia também esteve ativo, com quase 200 contribuições no último ano (gráfico abaixo).

(Imagem: Github – politeia)

Dave Collins, principal desenvolvedor do DCR, otimizou o ramo em 2019, apresentando um aumento significativo nas contribuições.

A versão 1.4.0 do Decred foi lançada em fevereiro de 2019 e incluiu um novo cronograma para votação de consenso, suporte à carteira Trezor e integração avançada à Politeia.

A versão 1.5.0 foi lançada em novembro de 2019 e incluiu melhorias à infraestrutura de mineração, mudanças para assegurar a qualidade, um novo cronograma para votação de consenso, descoberta automática de endereços externos de IP e diversas outras melhorias menores.

A versão 1.5.1 foi lançada em janeiro de 2020 e incluiu consertos a pequenas falhas e melhorias. No fim de agosto, a atualização 1.5.2 foi lançada para mitigar possíveis ataques de negação de serviço (DoS) a mineradores proof-of-work (PoW).

Grande parte das moedas usam a comunidade de desenvolvedores do GitHub. Arquivos são salvos em pastas chamadas de “repositórios” ou “repos”.

Alterações a esses arquivos são registradas com “contribuições”, que salvam um registro das alterações realizadas, além de quando e por quem.

Apesar de contribuições representarem quantidade e não necessariamente qualidade, um grande número de contribuições pode significar maior interesse e atividade por desenvolvedores.

Dados do Google Trends sobre pesquisas pelo termo “Decred” caíram significativamente desde o começo de 2018 e, atualmente, estão próximas a baixas multianuais.

Um pequeno aumento em pesquisas por “Decred” precederam as “bull runs” de 2016 e 2017”, provavelmente sinalizando uma nova onda de participantes de mercado.

Um estudo realizado em 2015 descobriu uma forte correlação entre dados do Google Trends e o preço do bitcoin enquanto um estudo realizado em 2017 concluiu que, quando as pesquisas no Google “bitcoin” aumentaram drasticamente nos EUA, o preço do bitcoin caiu.

(Imagem: Google Trends)

Análise técnica

DCR se moveu 126% entre março e o fim de agosto, mas ainda teve um baixo desempenho em comparação a grande parte do mercado cripto.

Médias Móveis Exponenciais (MMEs), perfis de volume do intervalo visível (VPVR), divergências e a Nuvem de Ichimoku podem ajudar a delinear um futuro roteiro de preço.

Clique aqui para mais informações sobre as análises técnicas descritas abaixo.

Médias Móveis Exponenciais (MMEs) são um indicador técnico de gráfico que rastreia o preço de um investimento ao longo do tempo.

Para o gráfico diário do par DCR/USD, as MMEs de 50 e 200 dias se cruzaram positivamente no dia 20 de agosto, mas poderão se cruzar negativamente nos próximos dias. Desde agosto de 2018, o preço à vista se manteve abaixo da MME de 2000 dias, com uma Cruz da Morte ativa.

O perfil de volume do intervalo visível (VPVR) é um indicador que mostra a atividade de negociação ao longo de um período específico de tempo a certos níveis de preço. Assim, mostra o que foi comprado e vendido a esses níveis atuais.

Agora, o VPVR (barras horizontais do gráfico abaixo) mostra resistência acima do preço atual de US$ 16, com forte suporte em US$ 6.

Pivôs anuais também mostram suporte e resistência em US$ 6,50 e US$ 22,75, respectivamente. Além disso, não existem divergências de alta ou baixa no volume e no RSI neste momento.

A Nuvem de Ichimoku é uma coleção de indicadores técnicos que mostram os níveis de apoio e resistência, bem como o ímpeto e a direção da tendência.

Considerando a Nuvem de Ichimoku, existem quatro métricas essenciais: o preço atual em relação à nuvem, a cor da nuvem (vermelho para baixa, verde para alta), as cruzes Tenkan (T) e Kijun (K) e o período de atraso (“lagging span”).

A melhor entrada acontece quando a maioria dos sinais disparam de baixa para alta, ou vice-versa.

O status das métricas diárias da Nuvem com configurações duplicadas (20/60/120/30) indicam uma baixa.

O preço à vista está abaixo da Nuvem, então a Nuvem indica uma baixa, diferente das cruzes T/K. O período de atraso está dentro da Nuvem e abaixo do preço à vista.

A tendência continuará em baixa até o preço à vista estiver acima da Nuvem.

Para o gráfico diário do par DCR/BTC, indicadores de preço foram negativos nos últimos meses. As MMEs de 50 e 200 dias estão cruzaram negativamente há mais de 760 dias.

Em meados de novembro de 2019, o preço ultrapassou a Nuvem diária pela primeira vez desde junho de 2018 mas, desde então, caiu novamente abaixo da Nuvem.

O preço à vista também está abaixo do ponto de controle do VPVR (linha vermelha horizontal) em 0,0026 BTC, a maior zona de volume historicamente, que agora deve atuar como resistência. A próxima zona de resistência do VPVR está em 0,0040 BTC.

Se a atual baixa não se sustentar, é provável que haja uma movimentação para o VPVR e suporte psicológico de 0,0010 BTC. Porém, começou a se formar uma divergência no RSI, sugerindo um enfraquecimento no ímpeto de alta.

Aspectos fundamentais da rede mostram um patamar na taxa de hashes proof-of-work (PoW) no último ano conforme o preço dos ingressos proof-of-stake (PoS) também se estabilizaram.

Provavelmente, a taxa de hashes parou de aumentar devido à queda na rentabilidade de mineração no mesmo período, bem como uma queda na fabricação de ASICs mais poderosos.

Métricas do blockchain, fora as transações por dia, aumentaram significativamente desde agosto, o que pode ser uma combinação de corretoras descentralizadas (DEXs), privacidade e iniciativas de staking.

O sistema de tesouraria para propostas de blockchain e financiamento de desenvolvedores provavelmente irão sustentar a moeda por muitos anos. DCR é muito parecido com DASH nesse sentido, apesar de DASH possui métricas de blockchain maiores.

Aspectos técnicos tanto para o par DCR/USD como para o DCR/BTC mostram uma tendência de baixa. Até os preços à vista ultrapassaram a MME de 200 dias e a Nuvem, a tendência de baixa poderá continuar nas próximas semanas.

A resistência positiva para o par DCR/USD está em US$ 16 e entre US$ 25 e US$ 30. Na última semana, o par DCR/USD atingiu uma nova baixa multianual em um ímpeto menos negativo do que a baixa anterior, sugerindo o início de uma exaustão de mercado de baixa.

Uma listagem na Coinbase, caso aconteça, pode impulsionar mais ambos os pares, apesar de o acréscimo de novos recursos de privacidade poderem prejudicar uma possível listagem, a menos que esses recursos possam ser desativados na carteira da corretora.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 04/09/2020 - 12:14