Conteúdo QR Capital

Cid Moreira explica a tese de investimento em Bitcoin

Buscando sanar todas as suas dúvidas a respeito do Bitcoin, a QR Capital, a maior holding de criptoativos do Brasil, chamou Cid Moreira, a voz mais inconfundível do país, para explicar de uma vez por todas a tese de investimento em Bitcoin.

(Imagem: Divulgação / QR Capital)

Desde o começo da pandemia do coronavírus, o mundo tem experienciado um período de expansão monetária a um nível nunca antes visto. Visando amenizar os impactos da maior crise sanitária já ocorrida no mundo, os Bancos Centrais emitiram moeda o suficiente para gerar um excesso de liquidez jamais experimentado pelo mercado financeiro. 

Neste cenário, um novo ativo anti-inflacionário ganhou os holofotes do mundo. Com uma valorização de mais de 300% desde o início da pandemia e uma capitalização de mercado de quase R$3 trilhões, o Bitcoin tem adentrado o mercado financeiro progressivamente via diversos veículos de investimentos. 

De forma direta ou indireta, o Bitcoin está conquistando fatias cada vez mais notáveis na carteira dos investidores. Ray Dalio e Paul Tudor Jones são alguns dos notáveis investidores que declararam publicamente possuir alocações na criptomoeda.

Embora a popularização exponencial, pode-se dizer que o Bitcoin ainda é um ativo vagarosamente estudado e, de fato, compreendido. Buscando suprir essa necessidade, a QR Capital, a maior holding de criptoativos do Brasil, chamou Cid Moreira, dono da voz que marcou gerações, para explicar de uma vez por todas a tese de investimento no Bitcoin.

Confira o vídeo abaixo: 

A QR Capital

Responsável pela produção do vídeo, a holding QR Capital, desde sua fundação, em 2018, trabalha para a profissionalização, regulação e institucionalização do mercado de blockchain e criptoativos.

Com essa missão, a fintech cria, desenvolve e investe em iniciativas que constroem o setor no Brasil. O grupo já  conta com uma legaltech de ativos judiciais tokenizados em blockchain, a BBPR; é investidora da 1ª fintech de crédito com garantia em Bitcoin do Brasil, a Rispar; investe em uma das maiores corretoras de ativos digitais da América Latina, a Foxbit; e conta com o próprio portal de insights e tendências da indústria, o BlockTrends.com.br.

A principal empresa, porém, é a QR Asset Management, a maior gestora 100% criptoativos da América Latina. Destacando-se pelo pioneirismo e inovação, a gestora é responsável pelo 1º fundo 100% criptoativos para investidores qualificados do Brasil, pelo 1º fundo 100% Bitcoin do país, pelo 1º fundo 100% DeFi e, agora, pelo 1º ETF 100% Bitcoin da América Latina, o QBTC11.

O #QBTC11

Na semana passada, a QR Asset Management, gestora de recursos do grupo, lançou o primeiro ETF 100% Bitcoin da América Latina, o QBTC11.  Autorizado pela CVM e listado na B3, o ETF utiliza o mesmo índice de referência dos contratos futuros de bitcoin da CME Group, o CME CF Bitcoin Reference Rate.

O QBTC11 começou a negociar na última quarta-feira na B3 e é o 4º ETF 100% bitcoin do mundo, lançado com apenas quatro meses de diferença para os três ETFs canadenses. Para se ter uma ideia, a diferença entre o primeiro ETF de ouro do mundo e o primeiro ETF de ouro do Brasil é de 18 anos.

Com o QBTC11, o Brasil ganha a primeira forma regulada de exposição direta à negociação de bitcoins. Por ser um ETF monoativo, comprar e vender cotas do QBTC11 é quase como operar o criptoativo.