Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

CSN capta US$ 1 bi no exterior em notes com prazo de 8 anos; ações recuam

24/01/2020 - 15:12
CSN Mercados
De acordo com a companhia, os recursos serão destinados para a recompra de outros títulos com vencimento em 2020 e taxa de 6,50% ao ano (Imagem: Reprodução/linkedin)

Na noite de ontem, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou ao mercado que realizou, com sucesso, a emissão de títulos no exterior no montante de US$ 1 bilhão, com prazo de vencimento para as notes de oito anos e retorno ao investidor de 6,750% ao ano.

Por volta das 15h12, as ações da CSN (CSNA3) eram negociadas com queda de 3,87% a R$ 14,88.

De acordo com a companhia, os recursos serão destinados para a recompra de outros títulos com vencimento em 2020 com taxa de 6,50% ao ano.

Captações

Na quarta-feira, a Eletrobras (ELET3) anunciou que deu início à emissão de títulos de dívida no mercado internacional com valor de até US$ 1,75 bilhão.

Os títulos possuem vencimentos em cinco anos (denominados “Notes 2025”) e em dez anos (denominados “Notes 2030”), informou a companhia, acrescentando que os cupons serão definidos de acordo com demanda de mercado.

A Eletrobras anunciou que deu início à emissão de títulos de dívida no mercado internacional com valor de até US$ 1,75 bilhão (REUTERS/Pilar Olivares)

Além disso, a Eletrobras também comunicou uma oferta de aquisição dos títulos emitidos pela empresa no mercado externo com vencimento em 2021 —as chamadas “Notes 2021”, que oferecem um cupom de 5,75%.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Também na quarta-feira, o Bradesco obteve um total de US$ 1,6 bilhão em títulos no exterior, sendo a metade em três anos com um yield de 2,85%, de acordo com o site do jornal Valor Econômico. O restante da emissão foi com vencimento em cinco anos e taxa retorno ao investidor no total de 3,20%.

Na semana passada o Itaú já havia realizado uma operação no exterior no total de US$ 1,5 bilhão, dividido em duas tranches, também de 3 e 5 anos. O prazo mais curto saiu com yield de 2,9% e o mais longo, 3,250%.

Última atualização por Rafael Borges - 24/01/2020 - 15:20

Visto do Reino Unido? Só para “os mais brilhantes do mundo”