Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Cuba abre espaço para pequenas empresas privadas na maior parte dos setores

06/02/2021 - 15:21
Economistas reformistas de Cuba pediam há tempos que o papel de pequenos negócios fosse expandido para ajudar a acelerar a economia e criar empregos (Imagem: Pixabay)

Em uma importante reforma em sua economia de controle estatal, o governo cubano permitirá que pequenos negócios privados atuem na maioria dos setores, eliminando sua limitada lista de atividades, afirmou a imprensa estatal neste sábado.

A medida, tomada no momento em que a ilha do Caribe tenta se recuperar de uma crise econômica, expandirá a gama de atividades permitidas de 127 para mais de 2.000, disse a ministra do Trabalho, Marta Elena Feito Carbera, segundo a mídia local. Ela deu a declaração em uma reunião de ministros que aprovou a nova política.

A ministra disse que haveria 124 exceções, segundo os relatos na imprensa, que não forneceram detalhes.

Economistas reformistas de Cuba pediam há tempos que o papel de pequenos negócios fosse expandido para ajudar a acelerar a economia e criar empregos.

A economia cubana estagnou há anos e recuou 11% ano passado, por uma combinação entre a pandemia de coronavírus que devastou o turismo e duras sanções dos EUA. Cubanos têm lidado com a escassez de bens básicos e filas intermináveis para obtê-los.

A crise forçou uma série de reformas prometidas há muito tempo que estavam empacadas, indo da desvalorização do peso e reorganização do sistema monetário a alguma desregulamentação de negócios estatais e investimentos estrangeiros.

O presidente Miguel Díaz-Canel afirmou ano passado que o país enfrentava uma crise internacional e local. Na ocasião, ele disse que implementaria uma série de reformas para aumentar as exportações, cortar importações e estimular a demanda doméstica.

Segundo ele, as medidas incluiriam “a melhora do setor não-estatal, com prioridade imediata à expansão dos trabalhadores autônomos e a remoção de obstáculos”.

O setor não-estatal– que não inclui a agricultura com suas centenas de milhares de pequenas fazendas e milhares de cooperativas– é composto principalmente por pequenos negócios privados e cooperativas, além de seus funcionários, artesãos, motoristas de táxi e comerciantes.

A ministra do Trabalho disse que há mais de 600.000 pessoas no setor, aproximadamente 13% da força de trabalho. Todos eles são designados como autônomos e estima-se que 40% dependem principalmente do turismo ou trabalham com transporte público.

Nos últimos seis meses, o governo também se mexeu para garantir que pequenos negócios possam acessar mercados de atacado e realizar importações e exportações, embora apenas por meio de empresas estatais.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 06/02/2021 - 15:21