Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Economia corta previsão de PIB do Brasil em 2020 por impacto de coronavírus

11/03/2020 - 11:55
(Imagem: José Cruz/Agência Brasil)
Equipe econômica revisa crescimento para 2,1% ante 2,4% anteriormente (Imagem: José Cruz/Agência Brasil)

A equipe econômica cortou nesta quarta-feira sua projeção de crescimento econômico neste ano a 2,1%, ante patamar de 2,4% calculado em janeiro e um percentual de 2,3% na Lei Orçamentária Anual aprovada pelo Congresso, cujos parâmetros seguem vigentes.

Segundo a Secretaria de Política Econômica (SPE), a diminuição de 0,3 ponto reflete um cenário provável com os impactos econômicos do coronavírus. No cenário otimista, a redução no PIB foi calculada em 0,1 ponto e no pessimista, em 0,5 ponto.

Com a atualização, a estimativa do governo ficou mais próxima, mas ainda superior à expansão de 1,99% esperada pelos economistas para a economia neste ano, conforme boletim Focus mais recente.

Em nova grade de parâmetros macroeconômicos, a perspectiva de alta do IPCA neste ano foi reduzida a 3,12%, contra 3,62% em janeiro e 3,53% na LOA, em outra variável que também deve pressionar as receitas para baixo.

Para o primeiro trimestre, a equipe econômica projetou uma alta de 0,20% do PIB sobre os três meses anteriores, com ajuste sazonal, e de 1,84% ante igual etapa de 2019, ressaltando que os dados já incorporam os efeitos adversos da epidemia de coronavírus nos preços dos ativos.

“Estamos monitorando de perto os desdobramentos do Covid-19 e a recente queda no preço do petróleo e reafirmamos que a melhor resposta ao novo cenário é perseverar com as reformas fiscais e estruturais”, disse a SPE, em nota.

Estamos monitorando de perto os desdobramentos do Covid-19 e a recente queda no preço do petróleo. afirma a nota (Imagem: Reuters/Ajeng Dinar Ulfiana)

Em nova grade de parâmetros macroeconômicos, a perspectiva de alta do IPCA neste ano foi reduzida a 3,12%, contra 3,62% em janeiro e 3,53% na LOA, em outra variável que também deve pressionar as receitas para baixo.

Os novos dados serão levados em conta na confecção do próximo relatório bimestral de receitas e despesas, a ser publicado até o dia 22. Nele, o governo fará novas projeções de quanto arrecadará e quanto gastará, levando em conta os eventos ocorridos até aqui.

Na véspera, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, já afirmou que o contingenciamento de recursos é “cenário mais provável” para garantir a meta de déficit primário de 124,1 bilhões de reais para o governo central.

(Atualizada às 11h55 – horário de Brasília)

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Lucas Simões - 11/03/2020 - 11:56