Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Embaladas por retomada, lucros das empresas devem crescer 180% no 2º tri, aponta Santander

23/07/2021 - 12:27
B3SA3 - Bolsa de Valores
Em uma base trimestral, o Santander espera que o resultado do segundo trimestre seja um pouco mais forte se comparado ao do primeiro, com o lucro líquido crescendo 9%

As empresas de capital aberto na Bolsa devem entregar resultados fortes no segundo trimestre ante o mesmo período do ano passado, aponta o Santander em relatório enviado a clientes e obtido pelo Money Times.

O banco calcula uma alta de 180% nos lucros, expansão de 40% nas receitas e 91% no Ebitda, que mede o resultado operacional.

“Os cíclicos globais – produtores de commodities, especialmente a Vale (VALE3) – mais uma vez devem contribuir para este crescimento robusto anual, em nossa visão. Excluindo este setor, esperamos um crescimento de Ebitda mais ameno de 12% em relação ao ano anterior”, aponta o analista Ricardo Peretti.

Além das commodities, outros fatores como a base de comparação fraca em relação ao ano anterior e a economia em reabertura também ajudarão a inflar as cifras das empresas.

Em uma base trimestral, o Santander espera que o resultado do segundo trimestre seja um pouco mais forte se comparado ao do primeiro, com o lucro líquido crescendo 9%.

Os destaques positivos ficarão para BR Distribuidora (BRDT3), CSN (CSNA3), Santos Brasil (RAIL3) e Totvs (TOTS3). Do outro lado, AES Brasil (AESB3), BB Seguridade (BBSE3), Hapvida (HAPV3) e Ultrapar (UGAP3) devem reportar números mais fracos.

E é importante lembrar que os lucros gerados pelas empresas são os fatores que impulsionam a Bolsa no médio e longo prazo (Imagem: Unsplash/Mak Flex)

Luz no fim do túnel?

O otimismo tão é percebido pela XP Investimentos.

De acordo com relatório obtido pelo Money Times, com a melhora nas perspectivas econômicas e redução de riscos ao longo do segundo trimestre, as projeções de lucro continuam a mostrar crescimento.

E é importante lembrar que os lucros gerados pelas empresas são os fatores que impulsionam a Bolsa no médio e longo prazo, reforçam Fernando Ferreira, Estrategista-chefe da XP e Jennie Li, estrategista em Ações.

“O mercado espera um forte crescimento de Lucro por Ação (LPA) das empresas do Ibovespa (IBOV) em +255%, parcialmente explicado pela base de comparação mais fácil no ano passado, quando os lucros das companhias foram severamente afetadas pela crise da pandemia”, destaca a dupla.

É claro que a corretora não poderia deixar escapar as discussões em torno da reforma tributária do seu radar, que trouxeram tensão e cautela ao mercado quando Paulo Guedes colocou os fundos imobiliários e as companhias boas pagadoras de dividendos na berlinda.

“A tributação as empresas levaria a um incentivo maior para as companhias reterem os seus lucros e reinvestir no seu crescimento futuro o que é positivo para a companhia e para o acionista no longo prazo”, pontuam os analistas da XP

Além disso, as empresas teriam também um incentivo a fazer mais recompras de ações, que é outra forma de recompensar os investidores além da distribuições de dividendos e JCP.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 23/07/2021 - 12:27

Cotações Crypto
Pela Web