Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Embraer e empresas aéreas contratam bancos para assessorar discussão com BNDES

06/05/2020 - 15:49
Embraer EMBR3
A Embraer contratou o Itaú BBA, segundo duas das fontes, em um mandato que inclui as discussões com o BNDES (Imagem: Antonio Milena/Arquivo Abr)

Bancos de investimento estão assumindo mandatos para ajudar companhias aéreas e a Embraer (EMBR3) na discussão do pacote de ajuda do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), afirmaram cinco fontes com conhecimento do assunto nesta quarta-feira.

A Embraer contratou o Itaú BBA, segundo duas das fontes, em um mandato que inclui as discussões com o BNDES mas pode ser expandido para busca de soluções estratégicas para a empresa depois do fracasso do negócio com a Boeing.

A Reuters revelou que a Embraer está pedindo linhas de crédito entre 1 e 1,5 bilhão de dólares. Mais cedo, o jornal O Estado de S. Paulo reportou a contratação do Itaú BBA pela Embraer.

A Embraer não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

O Itaú BBA também está assessorando a companhia aérea Azul (AZUL4) nas negociações com o BNDES, segundo duas das fontes. A companhia aérea não comentou de imediato. E o Itaú BBA não quis comentar sobre as duas contratações.

A Azul já havia contratado especialistas em reestruturação para negociar dívidas com seus credores, incluindo bancos, fornecedores e empresas de leasing de seus aviões. Todos os pagamentos estão temporariamente suspensos.

A boutique de reestruturação Galeazzi & Associados está liderando esse trabalho na Azul, acompanhada dos escritórios de advocacia Pinheiro Neto Advogados e Thomaz Bastos, Waisberg, Kurzweil.

Já a Latam Airlines contratou o BTG Pactual como assessor nas negociações com o BNDES, segundo duas pessoas com conhecimento do assunto, com foco nas negociações de critérios para conversão de dívida em participação acionária.

A Latam não respondeu de imediato a pedido de comentário.

Espera-se que as empresas aéreas e a Embraer finalizem neste mês as negociações para pacotes de ajuda do BNDES, que poderiam atingir até 2,5 bilhões de dólares.

A maior parte dos recursos deverá vir do BNDES, já que os bancos privados estão resistindo a dar empréstimos às empresas aéreas, um setor onde têm uma exposição pequena, segundo duas fontes.

A ideia inicial do BNDES era emprestar só metade do pedido pelas empresas aéreas e deixar que os bancos privados Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Santander Brasil (SANB11) suprissem a outra metade. Mas os bancos rejeitaram o plano e agora todo o pacote está em renegociação.

A ajuda do BNDES terá uma parte em linhas de crédito e outra em instrumentos de dívida conversíveis em ações, que daria ao banco estatal uma participação nas companhias.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 06/05/2020 - 15:51