BusinessTimes

Estudo revela as 10 empresas da Bolsa com mais mulheres em conselhos; veja lista

08 mar 2021, 18:59 - atualizado em 08 mar 2021, 18:59
Enjoei
Com 60% do seu conselho de administração formado por mulheres, a Enjoei lidera o ranking de representatividade feminina (Imagem: Diana Cheng/Money Times)

A empresa recém-chegada na Bolsa Enjoei (ENJU3) lidera o ranking de representatividade feminina em conselhos de administração. O estudo é da Teva Indices e foi divulgado em parceria com a Easynvest.

A plataforma de e-commerce de artigos usados tem 60% do seu conselho formado por mulheres, ou três mulheres em uma equipe de cinco pessoas.

Segundo Iris Sayuri, gerente de produto e uma das embaixadoras do movimento “Nós, mulheres investidoras”, da Easynvest, os números mostram que as companhias abertas estão atentas à participação feminina em cargos de liderança.

“Mensalmente vemos novas empresas compondo o ranking, assim como muitas abrindo IPO [oferta pública inicial] já com o cuidado em ter maior representatividade feminina na liderança”, diz.

Apesar do avanço da pauta, Sayuri afirma que ainda existe um longo percurso a ser percorrido.

“O levantamento destaca quem tem feito a lição de casa, mas o cenário segue desigual”, comenta a gerente. “Se pensarmos em CEOs, menos de 2% são mulheres em companhias abertas no país”.

Seguindo com o ranking, BMG (BMGB4), Magazine Luiza (MGLU3), Aeris (AERI3) e Vivara (VIVA3) fecham o top 5 da lista. O BMG tem 50% do conselho feminino – de oito pessoas na equipe, quatro são mulheres. Já o Magazine Luiza conta com três conselheiras (de um grupo de sete pessoas), enquanto Aeris e Vivara possuem 40% do conselho formado por mulheres.

Confira as dez companhias abertas do ranking de representatividade feminina:

Empresa Ticker Número de conselheiras Número de cargos no conselho % do conselho ocupado por mulheres
Enjoei ENJU3 3 5 60%
BMG BMGB4 4 8 50%
Magazine Luiza MGLU3 3 7 43%
Aeris AERI3 2 5 40%
Vivara VIVA3 2 5 40%
Mills MILS3 3 8 38%
Santander Brasil SANB11 3 9 33%
Copel CPLE6 3 9 33%
Porto Seguro PSSA3 2 6 33%
Pague Menos PGMN3 3 9 33%

Sobre o levantamento

Para selecionar as empresas, a Teva Indices levou em consideração o limite mínimo de 1% de ações em circulação (ou free float), uma capitalização de mercado mínima de R$ 300 milhões e um volume de negociação no mês de referência (no caso, fevereiro) superior a R$ 20 milhões.

O estudo também considera apenas cargos efetivos e exclui empresas em recuperação judicial ou extrajudicial, bem como aquelas que não estejam em dia com informes regulatórios.

Os dados do levantamento são produzidos pela empresa utilizando ciência de dados e inteligência artificial para elaborar índices financeiros de ESG (abreviação, em inglês, de Environmental, Social and Governance, ou, em português, Ambiental, Social e Governança Corporativa).

“Nós, mulheres investidoras”

O movimento criado pela Easynvest produz conteúdos multiplataforma com o objetivo de estimular a participação feminina no mercado financeiro.

O “Nós, mulheres investidoras”, em parceria com a Teva Indices, também disponibiliza uma lista de recomendações com quinze ações de companhias de maior capitalização com mais mulheres em conselhos.

Editora-assistente
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin