Internacional

EUA indicam nova embaixadora na Ucrânia após deixar cargo vazio por dois anos

25 abr 2022, 19:06 - atualizado em 25 abr 2022, 19:06
Bridget Brink Estados Unidos
Diplomata Bridget Brink e o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin (Wikimedia Commons)

O presidente Joe Biden anunciou nesta segunda-feira (25) a intenção de nomeação da diplomata Bridget Brink como nova embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia.

O cargo, que estava vazio desde 2019, deverá ser preenchido definitivamente após o indicado passar por uma audiência de confirmação e ser aprovado pelo Senado norte-americano.

A decisão de Biden veio um dia depois de Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA, e Lloyd Austin, secretário da Defesa, visitarem o presidente da Ucrânia Volodymyr Zelenskyy, na cidade de Kiev, capital ucraniana.

Na primeira viagem de representantes americanos ao país do leste europeu desde a invasão da Rússia, os políticos firmaram alianças diplomáticas e os EUA prometeram maior comprometimento na defesa da Ucrânia.

A nomeação de um novo embaixador é o primeiro ato de Biden em resposta aos acordos feitos anteriormente. O cargo, que estava vazio há cerca de dois anos, foi deixado por Marie Yovanovitch após tensões com o ex-presidente Donald Trump.

Bridget Brink, a atual indicada, é formada em Ciência Política pelo Kenyon College, nos EUA, e mestre em Relações Internacionais e Teoria Política pela Escola de Ciências Políticas e Econômicas de Londres, na Inglaterra.

Atualmente, Brink é embaixadora na Eslováquia e já havia trabalhado como conselheira-sênior e secretária assistente no Escritório de Assuntos Europeus e Eurásia do Departamento de Estado dos EUA.

Estagiário
Estudante de jornalismo na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Foi tradutor no Programa de Voluntários Internacionais da ONU durante dois anos. Na universidade, desenvolve pesquisas em Linguagem e História do Pensamento Social Brasileiro. Escreve sobre tecnologia, ciência, conflitos e assuntos internacionais.
Linkedin
Estudante de jornalismo na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Foi tradutor no Programa de Voluntários Internacionais da ONU durante dois anos. Na universidade, desenvolve pesquisas em Linguagem e História do Pensamento Social Brasileiro. Escreve sobre tecnologia, ciência, conflitos e assuntos internacionais.
Linkedin