Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Executivo-chefe do J.P. Morgan quer regulações financeiras mais simples nos EUA

05/04/2017 - 2:57

James Dimon

O executivo-chefe do J.P. Morgan Chase & Co., James Dimon, delineou uma lista de desejos em mudanças regulatórias em sua carta anual aos acionistas do banco americano nesta terça-feira. Dimon defendeu regras mais simples e melhor coordenadas, que possam ajudar a impulsionar mais os empréstimos e gerar crescimento econômico.

Embora Dimon não tenha defendido a retirada de toda a regulação da lei Dodd-Frank e de outras regras, ele disse que avalia como “apropriada” uma revisão.

O chefe do maior banco dos EUA em ativos não tem o poder para mudar as regras, mas participa do conselho de 16 executivos que assessora o presidente Donald Trump e também conhece alguns dos principais conselheiros de Trump no setor financeiro. Dimon avalia que as mudanças prováveis devem ajudar o banco, diante da “expectativa de um ambiente mais amigável aos negócios”.

O executivo disse que as regras devem ser coordenadas entre as agências, simplificadas e consistentes. Segundo ele, os bancos têm muito capital que poderia ser usado de maneira segura para financiar a economia. Dimon disse haver benefícios no sistema bancário mais forte, por causa de maior exigência de capital, liquidez e transparência, além de testes de estresse, entre outras mudanças. Mas ele avaliou que algumas delas foram longe demais. O executivo citou como exemplo as regras sobre a chamada taxa de alavancagem suplementar, que na avaliação dele “precisam ser modificadas”.

As regras, que limitam o montante de dinheiro emprestado que um banco pode usar em relação a seus ativos totais, penalizam muitas vezes atividades praticamente livres de risco e devem ser usadas em vez disso para promover os empréstimos e a liquidez no mercado de capitais. Dimon também sugeriu reformas no mercado de hipotecas, já que segundo ele o setor habitacional tem sido “lento na recuperação”.

Pediu a volta do capital privado para tornar o mercado de financiamento imobiliário menos dependente do dinheiro dos contribuintes, além de novos padrões para substituir os complexos modelos relativos às hipotecas. Segundo o executivo, as mudanças na direção correta poderiam adicionar mais de US$ 300 bilhões ao anos no mercado hipotecário americano.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Leia mais sobre: , , ,

Última atualização por - 05/11/2017 - 14:06

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto