Finanças descentralizadas ultrapassam a marca de um bilhão de dólares

12/02/2020 - 11:56
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
O valor dos fundos investidos em aplicativos DeFi quadruplicou: de US$ 276 milhões no ano passado para mais de US$ 1 bilhão, de acordo com o site DeFi Pulse (Imagem: Freepik/macrovector)

O valor dos fundos investidos em aplicativos DeFi quadruplicou, de US$ 276 milhões no ano passado para mais de US$ 1 bilhão, de acordo com o DeFi Pulse.

MakerDAO detém 61% dos fundos, com US$ 609 milhões, seguida pela Synthetix, com US$ 131 milhões, e Compound, com US$ 127 milhões. Mais abaixo da escala está a Lightning Network, com US$ 8,5 milhões.

Fora a Synthetix, que fornece versões tokenizadas e “sintéticas” de ativos do mundo real, todos os projetos DeFi mais rentáveis são protocolos de empréstimo que usam blockchain para remover intermediários de serviços financeiros tradicionais.

Explosão de empréstimos

Em uma publicação, DeFi Pulse afirmou que ultrapassar o marco de um bilhão de dólares foi um “presente de aniversário adiantado” para o site, lançado em fevereiro de 2019.

Mas nem todos estão celebrando o sucesso das DeFi. Preston Byrne, advogado de cripto, diz que muitos dos fundos retidos em contratos de empréstimo são de pessoas que evitam impostos e que seu valor está apreciando porque estamos “em meio a um emergente bull run (mercado de alta)”.

No entanto, mesmo sendo medido em ether em vez de dólares, o valor dos fundos totais aumentou drasticamente no último ano, sugerindo que DeFi está se beneficiando mais do que de apenas um aumento no preço de criptoativos.

É provável que o direcionador verdadeiro por trás do aumento dos fundos seja a demanda por serviços de empréstimo em cripto.

Isso é tão forte que DeFi fez o desenvolvimento de serviços tradicionais e populares de pessoa para pessoa (peer-to-peer), como LendingClub, comer poeira, o que levou cinco anos para atingir o marco de US$ 1 bilhão na demanda por empréstimos.

Apesar das DeFi estarem tendo um forte impulso, ainda estão sendo ofuscadas por competição de plataformas de finanças centralizadas (CeFi).

Por exemplo, a Genesis Capital, única plataforma que oferece serviços de empréstimo em cripto, relatou US$ 525 milhões em empréstimos ativos em dezembro de 2019, mais da metade do valor total investido nas DeFi.

Enquanto isso, a plataforma tradicional LendingClub facilitou mais de US$ 16 bilhões em empréstimos em 2019.

Mesmo assim, o surgimento das DeFi tem sido uma das narrativas principais que direcionam os mercados cripto, e esperamos que a tendência DeFi continue a crescer com força ao longo de 2020.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 12/02/2020 - 11:56

Pela Web