Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

FMI vê incerteza em torno de políticas econômicas argentinas, diz autoridade

08/04/2021 - 13:58
Inicialmente, o FMI e o governo esperavam um acordo entre abril e maio, mas ambos abandonaram qualquer referência a esse cronograma (Imagem: REUTERS/Yuri Gripas/File Photo)

Ainda há muita incerteza sobre o caminho da política econômica da Argentina para tornar a dívida do país sustentável, disse uma autoridade do Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta quinta-feira.

“Sempre há pelo menos duas etapas para qualquer reestruturação. Uma é como você altera os termos de seus contratos de dívida, a outra é como você altera suas políticas para tornar a nova dívida sustentável. E acho que essa segunda etapa é onde temos um muita incerteza”, disse Alejandro Werner, chefe do FMI para o Hemisfério Ocidental.

A Argentina e o FMI estão em negociações para substituir um fracassado programa de 2018 pelo qual o país sul-americano deve ao Fundo cerca de 45 bilhões de dólares.

Inicialmente, o FMI e o governo esperavam um acordo entre abril e maio, mas ambos abandonaram qualquer referência a esse cronograma.

Investidores projetam que um acordo não será alcançado antes das eleições legislativas no fim de outubro, à medida que a dívida externa argentina em dólar está sendo negociada em níveis problemáticos, cerca de 30 centavos por dólar.

“Estamos trabalhando para estarmos prontos na hora que o governo realmente quiser finalizá-lo e acelerá-lo. Acho que estamos em condições de fazê-lo, mas é verdade, é óbvio que as negociações têm se arrastado mais do que talvez pensássemos”, disse Werner em um evento organizado pela S&P Global.

As negociações, ambos os lados disseram, continuam a ser “construtivas”.

No fim do mês passado, o ministro da Economia, Martín Guzmán, disse que “passos importantes” foram dados para avançar com as negociações, dias depois de a vice-presidente do país, Cristina Fernández, dizer que a Argentina não tinha dinheiro para honrar seus compromissos com o FMI.

Werner reconheceu que o FMI vê uma divisão dentro governo argentino.

“Parece haver diferenças significativas de opinião entre os aliados políticos do presidente (Alberto) Fernández sobre a direção que devem seguir, tanto em termos de política quanto em relação às negociações com o Fundo”, disse.

O Ministério da Economia da Argentina não fez comentários, disse um porta-voz.

Alguns dos credores privados com os quais a Argentina fechou um acordo de reestruturação no ano passado têm reclamado da lentidão das negociações, de como o acordo se tornou uma questão política e da falta de uma política econômica clara do governo.

“Em ano eleitoral, que agora também passa a ser um período em que o ambiente externo é favorável às contas financeiras da Argentina… há uma interpretação do nosso lado de que talvez o governo sinta que (será) muito melhor empreender esta negociação política depois das eleições do que antes”, afirmou Werner.

A Argentina está lutando contra uma segunda onda de infecções por Covid-19, com número recorde de novos casos nos últimos dias, embora o governo esteja procurando evitar lockdowns generalizados para blindar a recuperação econômica que ainda está em estágio inicial.

Também há preocupações de que a inflação já elevada possa aumentar ainda mais, apesar das esperanças do governo de conter os preços, o que afetaria o crescimento econômico.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por André Luiz - 08/04/2021 - 13:58