Economia

Haddad diz que Brasil cumprirá metas primárias com medidas adicionais e cita retomada do PIB; entenda

12 out 2023, 15:28 - atualizado em 12 out 2023, 15:28
haddad pib
Ministro da Fazenda diz que país está pronto para liderar economia verde e que busca devolver o peso do governo de 19% no PIB (Imagem: REUTERS/Adriano Machado) Fernando Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, declarou que o Brasil cumprirá suas metas primárias por meio de medidas adicionais de receita.

Segundo Haddad, as metas serão atingidas a partir de um incremento nas receitas do governo a partir dessas medidas, mas sem resultar em aumento na carga tributária.

A declaração foi feita no Comitê do Fundo Monetário Internacional (IMFC).

Entre os destaques, o ministro citou o compromisso do Brasil em zerar o déficit primário até 2024, entregar um superávit de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2026 e devolver o peso do governo de 19% no PIB.

  • IPCA sobe em setembro: Onde apostar na renda fixa agora? Saiba mais no Giro do Mercado, clique aqui e assista.

“Como resultado, a confiança na sustentabilidade da dívida do Brasil melhorou, com duas das três principais agências de classificação de crédito elevando a classificação ou perspectiva da dívida do Brasil este ano”, lembra Haddad.

Expectativas do FMI para o PIB

O compromisso do ministro vem na semana que o Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou as projeções fiscais do Brasil.

Ainda assim, o fundo não vê o país alcançando as metas traçadas pela equipe de Haddad.

O FMI espera que o Brasil apresente déficit primário de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2023, voltando ao vermelho após apresentar superávit nos últimos dois anos.

Para 2024, o FMI projeta o país no negativo, com um déficit primário de 0,2% do PIB.

Dessa forma, para o FMI, o Brasil deve ficar fechar com um superávit primário positivo apenas em 2025, aos 0,2%. Depois disso, o país ficaria no azul até 2028.

No entanto, o FMI anunciou nova elevação da perspectiva de crescimento do Brasil neste ano, de 2,1% para 3,1%.

Por fim, Haddad afirmou que o país superou as expectativas do mercado em termos de desenvolvimento econômico, a partir de medidas na área de crédito, como o Desenrola Brasil, e disse que Brasil está pronto para liderar a economia verde.

Repórter no Agro Times
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Agro Times desde março de 2023. Antes do Money Times, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Agro Times desde março de 2023. Antes do Money Times, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.