Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Heineken Brasil pode incomodar Ambev no médio prazo, diz BTG

Gustavo Kahil
13/02/2017 - 18:06

Heineken

A compra da Kirin Brasil pela Heineken, já dada como certa há semanas, por R$ 2,2 bilhões (US$ 700 milhões) deve ser capaz de mexer com a dinâmica do mercado brasileiro de cerveja, apontam os analistas do BTG Pactual. Desde que chegou ao Brasil em 2011 ao arrematar a Schincariol por US$ 2,65 bilhões, a empresa não conseguiu se tornar rentável.

Veja outras recomendações de ações

“Considerando vários riscos associados à economia brasileira e à situação estagnada e competitiva nos mercados de cerveja e refrigerantes no país, a Kirin concluiu que há limitações na transformação da Brasil Kirin em um negócio autossustentável e de alta lucratividade”, disse a empresa por meio de nota.

“No curto prazo, a implicação deve trazer um alívio de preço dado que a Brasil Kirin estava muito agressiva. Já no médio e longo prazo, a leitura pode ser negativa pois a Ambev terá que lidar com um competidor mais forte (aproximadamente 20% de participação de mercado)”, apontam os analistas do BTG Pactual em uma análise enviada a clientes.

Segundo o banco, a principal disputa poderá se dar no Nordeste, região em que a marca é mais forte. “Achamos que o mercado vai ignorar esse efeito negativo por hora e focar no alívio de preço no curto prazo”, indica o BTG. As ações da Ambev (ABEV3) operam em leve alta nesta segunda-feira.

Última atualização por - 05/11/2017 - 14:07

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender
As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto