BusinessTimes

Ibovespa: As 4 ações que podem entrar no índice em janeiro (e a que vai embora), segundo a Genial

28 dez 2021, 15:44 - atualizado em 28 dez 2021, 17:01
Ibovespa Ações Mercados B3SA3
Prestígio: Ibovespa é formado pelas ações mais negociadas na B3 (Imagem: B3/Divulgação)

Como você já deve saber, a cada quatro meses, a B3 (B3SA3) revisa a carteira teórica que compõe o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira. Isso acontece, porque o objetivo do índice é refletir as ações e units mais negociadas e seus respectivos pesos para o mercado. A próxima mudança da carteira ocorrerá em janeiro, mas os analistas já começam a fazer suas apostas.

Para a Genial, quatro papéis podem entrar na composição do Ibovespa no próximo mês, enquanto um deve perder seu lugar. Além do prestígio de integrar o índice, a visibilidade que isso gera traz outros benefícios, como maior cobertura de analistas, o que atrai ainda mais investidores e, por tabela, aumenta a liquidez dos papéis.

Para que o mercado não seja pego de surpresa, a B3 costuma divulgar três prévias, antes da composição definitiva. A primeira e a segunda prévias já foram publicadas, e os investidores aguardam a última prévia para esta semana.

Confira as apostas da Genial para a carteira do Ibovespa que vigorará entre janeiro e abril de 2022.

Empresa Código Peso estimado (%) Entra/Sai
Positivo POSI3 0,037 Entra
CSN Mineração CMIN3 0,351 Entra
3R Petroleum RRRP3 0,297 Entra
Cesp CESP6 0,18 Entra
GetNet GETT11 0 Sai
Fonte: Genial

Veja o que esperar do Ibovespa em 2022.

 

 

Diretor de Redação do Money Times
Ingressou no Money Times em 2019, tendo atuado como repórter e editor. Formado em Jornalismo pela ECA/USP em 2000, é mestre em Ciência Política pela FLCH/USP e possui MBA em Derivativos e Informações Econômicas pela FIA/BM&F Bovespa. Iniciou na grande imprensa em 2000, como repórter no InvestNews da Gazeta Mercantil. Desde então, escreveu sobre economia, política, negócios e finanças para a Agência Estado, Exame.com, IstoÉ Dinheiro e O Financista, entre outros.
Linkedin
Ingressou no Money Times em 2019, tendo atuado como repórter e editor. Formado em Jornalismo pela ECA/USP em 2000, é mestre em Ciência Política pela FLCH/USP e possui MBA em Derivativos e Informações Econômicas pela FIA/BM&F Bovespa. Iniciou na grande imprensa em 2000, como repórter no InvestNews da Gazeta Mercantil. Desde então, escreveu sobre economia, política, negócios e finanças para a Agência Estado, Exame.com, IstoÉ Dinheiro e O Financista, entre outros.
Linkedin