BusinessTimes

Ibovespa: CMIN3 sobe quase 5% e lidera as altas; HAPV3 é o destaque negativo

06 jan 2023, 12:38 - atualizado em 06 jan 2023, 12:38
Ibovespa
As mineradoras também sobem no Ibovespa desta sexta-feira (6) (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

O Ibovespa (IBOV) subia nesta sexta-feira (6), em dia de divulgação de dados de emprego nos Estados Unidos e de reunião ministerial do governo Lula (PT).

Por volta de 12h30, as mineradoras operavam em valorização. CSN Mineração (CMIN3) liderava as altas, avançando 4,95% após o minério de ferro subir 1,9%, a 855 Yuanes (124,72 dólares) a tonelada em Dalian. CSN (CSNA3) subia 4,10% e Vale (VALE3) se valorizava levemente em 0,50%.

Taesa (TAEE11) também figura entre os destaques de alta e se valoriza 3,97% após aprovar o pagamento de R$ 460 milhões em dividendos. Segundo a empresa, o valor por ação será de R$ 1,3352727417, a ser pago em 23 de janeiro de 2023.

Petrobras opera entre perdas. Com PETR4 caindo 1,10% e PETR3 perdendo 0,70%. A empresa assinou acordo com iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) para diminuir as emissões de metano. No setor, 3R Petroleum (RRRP3) subia 1,91%.

Cyrela (CYRE3) também mostra avanço de 3,97%. Fora do Ibovespa, as construtoras PDG Realty (PDGR3), Tecnisa (TCSA3) e Helbor (HBOR3) tinham forte valorização de 46,67%, 16,50% e 9,84%, respectivamente. Os papéis estendem os ganhos de mais de 30% da véspera, com sinalizações sobre o programa Minha Casa Minha Vida.

No lado negativo, Hapvida (HAPV3) recua 3,56% e lidera as baixas, enquanto Qualicorp (QUAL3) sobe 1% depois de ser o destaque negativo nos dois últimos pregões.

Klabin (KLBN11) figura entre os destaques negativos, caindo 1,70%. Suzano (SUZB3) também opera em queda, com desvalorização de 0,60%.

Multiplan (MULT3) também está no radar do mercado e sobe 0,90% após anunciar, na segunda-feira (2), que não concluiu a compra de 49,9% do shopping DiamondMall.

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin