Mercados

Ibovespa (IBOV) abre em queda, com projeções para a Selic no radar: 5 coisas para saber antes de investir hoje (20)

20 maio 2024, 10:09 - atualizado em 20 maio 2024, 10:09
ibovespa
Ibovespa começa semana digerindo projeções para a Selic divulgadas no Relatório Focus (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

Ibovespa (IBOV) abriu o pregão desta segunda-feira (20) em queda. O principal índice da bolsa brasileira caia a 0,12%, aos 127.991 pontos, por volta das 10h09.

No último dia útil, o índice caiu, com a queda de Petrobras (PETR4) prejudicando a performance. A Vale (VALE3), no entanto, conseguiu evitar o pior.

  • As melhores recomendações da Empiricus na palma da sua mão: casa de análise liberou mais de 100 relatórios gratuitos; acesse aqui


O dólar avançava frente ao real nas primeiras negociações desta segunda, no início de semana que tem como destaque a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, e após economistas consultados pelo Banco Centeal na pesquisa Focus elevarem suas projeções para a taxa Selic.

Day Trade:

Radar do Mercado:

5 assuntos que podem mexer com o Ibovespa nesta segunda (20)

Preocupações fiscais pairam sob o Ibovespa

O analista Matheus Spiess, da Empiricus Research, aponta que a última semana foi marcada por um desempenho desfavorável no Ibovespa, principalmente devido à queda das ações da Petrobras após o governo destituir Jean Paul Prates da presidência da empresa.

“Além disso, renovadas preocupações fiscais surgiram, notadamente pela percebida relutância do governo em se comprometer com ajustes fiscais necessários, algo que poderia afetar decisões futuras do Banco Central”, avaliam.

Sobre o tema, Spiess destaca que esta a semana será fundamental, pois o Relatório de Receitas e Despesas será encaminhado ao Congresso.

“Espera-se que o segundo relatório bimestral revele uma piora na expectativa de superávit primário para 2024, principalmente por conta da antecipação de um crédito suplementar de R$ 16 bilhões, o que eleva permanentemente o teto de gastos”, explica.

Economistas voltam a elevar projeções de Selic e inflação

Os economistas ouvidos pelo Banco Central voltaram a revisar as projeções de inflação para este ano. Segundo o Relatório Focus, as expectativas de alta para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCApassaram de 3,76% para 3,80%. Já para 2025, a projeção do IPCA foi elevada de 3,66% para 3,74%. Os demais anos permanecem as mesmas projeções de 3,50%.

Vale lembrar que as metas de inflação para 2024 e 2025 são de 3% conforme estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Já a Selic deve encerrar o ano em 10%, ante os 9,75% — a elevação na projeção é uma resposta para a postura mais conservadora adotada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), após o reajuste de 0,25 ponto percentual nos juros.

Para 2025 e 2026, a projeção é de que a taxa básica de juros se mantenha em 9%. No entanto, as expectativas  2027 foram elevadas de 8,63% para 9%.

Juros na China e morte de presidente do Irã estão no radar

A segunda-feira, que era para ser tranquila, já começa trazendo emoção para os mercados. A começar pelo Oriente Médio: foi confirmada a morte do presidente iraniano, Ebrahim Raisi, após acidente de helicóptero.

Além dele, outras oito pessoas estavam na aeronave, entre ela o ministro de Relações Exteriores, Hossein Amir Abdollahian.

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, anunciou cinco dias de luto público. Quem deve assumir o cargo é primeiro-vice-presidente Mohammad Mokhber.

Apesar do Irã ser um dos maiores produtores de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a notícia ainda não provoca grandes alterações no mercado da commodity. No entanto, o país está envolvido na recente crise entre Israel Palestina, sendo que foi responsável por um ataque contra território israelense no mês passado.

Indo para a Ásia, a China manteve inalteradas as taxas de juros de referência para empréstimos (LPR, na sigla em inglês). A taxa de referência para 1 ano foi mantida em 3,45%, enquanto a de 5 anos permaneceu em 3,95%.

O analista da Empiricus, Matheus Spiess, evidencia que, no fim da noite de ontem, o preço do barril de petróleo operava em alta moderada, sugerindo um impacto limitado da queda do helicóptero que transportava o presidente do Irã, Ebrahim Raisi.

“Nesta manhã, no entanto, o petróleo reverteu parte dos ganhos recentes devido à incerteza política após a morte do presidente iraniano no acidente de helicóptero. Após atingir a máxima de US$ 84,44 entre ontem e hoje, o Brent para julho caiu de volta para baixo de US$ 84”, aponta.

  • Fim da temporada de resultados: Quais foram os destaques negativos e positivos do 1T24? Confira os setores que se destacaram e quais são as perspectivas para os próximos trimestres no Giro do Mercado desta segunda-feira (20), clique para assistir:

Dividendos bilionários da Petrobras (PETR4) vão pingar

Oito empresas pagam dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) entre os dias 20 a 24 de maio.

O destaque da semana é a Petrobras (PETR3PETR4), que paga a primeira parcela de dividendos e dividendos extraordinários já nesta segunda-feira (20).

A companhia distribui R$ 0,5501 e R$ 0,8496 por papel aos acionistas com posição em 25 de abril e 2 de maio, respectivamente.

Conselho de Administração da Light (LIGT3) aprova termos e condições do novo PRJ

O Conselho de Administração da Light (LIGT3) aprovou os termos e condições do seu novo plano de recuperação judicial, mostra fato relevante enviado ao mercado no sábado (18).

O documento foi protocolado no processo de recuperação judicial em curso na 3ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro, e reflete modificações para alinhar os interesses de credores e outros “stakeholders“.

Esse plano prevê um pagamento integral de credores com créditos de até R$ 30 mil, aporte de recursos mediante aumento de capital e a capitalização de determinados créditos por meio de títulos conversíveis e não conversíveis.

Repórter
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.