Mercados

Ibovespa (IBOV), Vale (VALE3) e mais: 5 coisas para saber antes de investir nesta sexta (23)

23 fev 2024, 10:11 - atualizado em 23 fev 2024, 10:13
Ibovespa
Vale e demais balanços devem mexer com o Ibovespa nesta sexta-feira (23) (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

Ibovespa (IBOV) abriu o pregão desta sexta-feira (23) em leve alta, avançando 0,22%, a 130.526 pontos, por volta das 10h06. Na véspera, o índice ampliou a sequência positiva, marcando a sexta alta consecutiva.



O dólar tinha leve alta em relação ao real na manhã desta sexta, em sessão sem grandes catalisadores, com os mercados ainda de olho nas expectativas em torno do início do afrouxamento monetário nos Estados Unidos.

Day Trade:

Radar do Mercado:

5 assuntos que podem mexer com o Ibovespa nesta sexta (23)

Ibovespa se mantém acima dos 130 mil pontos

Ibovespa (IBOV) ampliou a sequência positiva nesta quinta-feira (22). Com o fechamento do pregão, o índice marca a sexta alta consecutiva.

Apesar do desempenho mais tímido comparado com os índices acionários em Wall Street, que dispararam com a repercussão dos resultados da Nvidia, o Ibovespa conseguiu se segurar no azul, encerrando hoje com ganhos de 0,16%, a 130.240,55 pontos.

O analista da Empiricus Research, Matheus Spiess, destaca que índice tem mantido sua posição acima dos 130 mil pontos, ainda que com uma participação mais reservada no rali global.

“As limitações internas podem ser atribuídas, em grande parte, às disputas fiscais nacionais, especialmente após a decisão favorável ao Congresso na contenda sobre o agendamento das emendas parlamentares. Ontem, o governo cedeu às exigências do Congresso, concordando em aderir ao cronograma de pagamento de emendas estipulado na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)”, destaca.

Ele explica que a situação obriga o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a desembolsar mais de R$ 14 bilhões em emendas parlamentares até o dia 30 de junho, o último prazo antes das eleições municipais.

“Nem mesmo os positivos dados de arrecadação de janeiro, que já haviam sido antecipados pelo mercado, forneceram um pilar de apoio nesse contexto”, pondera.

Vale (VALE3): Lucro contrai mais de 30% no 4T23, a US$ 2,44 bilhões

O lucro líquido das operações continuadas da Vale (VALE3) atingiu US$ 2,44 bilhões no quarto trimestre de 2023, queda de 34,7% sobre o mesmo período de 2022, segundo o relatório divulgado nesta quinta-feira (22).

Já o lucro líquido das operações continuadas atribuído a acionistas somou US$ 2,41 bilhões.

O lucro veio abaixo das estimativas do consenso do mercado. Dados de um levantamento da Bloomberg apontavam um valor esperado de R$ 18,9 bilhões, ou algo em torno de US$ 3,82 bilhões.

O analista Fernando Siqueira, da Guide Investimentos, avalia o impacto do balanço com o neutro. Ele aponta que os números ficaram em linha com o esperado.

“Devido à divulgação da prévia operacional, o espaço para surpresas nos números da Vale é baixo. O dividendo de R$ 2,74/ação deve ser bem recebidos pelos investidores. A provisão na Samarco também já era esperada em função de provisões similares divulgadas recentemente pela BHP, parceira da Vale na Samarco”, explica.

B3 (B3SA3): Queda de 8,8% leva o lucro para R$ 915 milhões no 4T23

B3 encerrou o quarto trimestre de 2023 com lucro de R$ 915 milhões, queda de 8,8% ante mesma etapa de 2023.

O número ficou abaixo da expectativa do consenso da Bloomberg, que esperava R$ 1 bilhão.

A receita líquida somou R$ 2,4 bilhões, queda de 2,9%. O Ebitda caiu 10,3%, para R$ 1,4 bilhão, enquanto a margem Ebitda teve recuo de 540 bps, para 65%.

Siqueira avalia os resultados reportados pela B3 também como neutros. “Mantemos nossa visão cautelosa com as ações da B3. Além dos volumes baixos, a receita média da B3 com transações continua em níveis bastante baixos, o que não deve mudar no curto prazo”, explica.

Além disso, ele aponta mercado de capitais segue desaquecido, o que reforça a visão de que uma melhora nos resultados pode demorar.

  • Por que Nvidia é a ‘ação mais importante do mundo’? O analista da Empiricus Research, Enzo Pacheco, explica por que os investidores não tiram o olho da empresa e revela qual é a sua ação preferida do setor; clique abaixo para assistir:

‘O Banco Central está derretendo’, diz Campos Neto

O presidente do Banco CentralRoberto Campos Neto, alertou que a autarquia está no limite por conta da falta de servidores.

“O Banco Central está derretendo”, disse durante a posse de Flávio Dino como ministro do STF, na quinta-feira (23). Segundo ele, a autoridade monetária está perdendo sete funcionários por dia e que os mais qualificados estão indo trabalhar em bancos privados.

Os servidores reclamam de baixos salários e falta de um plano de carreira. Na última terça-feira (21), os funcionários fizeram uma paralisação de 48 horas, organizada pelo Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal).

O grupo rejeitou a proposta do governo de conceder reajuste de 13%, parcelado para 2025 e 202, já que os servidores pedem um reajuste de 36% e reestruturação da carreira.

Caixa Seguridade (CXSE3)

Caixa Seguridade (CXSE3) teve lucro de R$ 922,4 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), o que representa uma alta de 22,5% em relação ao mesmo período de 2022, de acordo com balanço divulgado na quinta-feira (22).

Além disso, a Caixa Seguridade poderá pagar R$ 1,2 bilhão em Dividendos Mínimos Obrigatórios e R$ 373,3 milhões em Dividendos Adicionais Propostos, somados.

Sendo assim, se aprovados, totalizarão o montante de R$ 1,6 bilhões, equivalentes a R$ 0,550580432 por ação.

Repórter
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin