Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Vitreo DTVM

Ibovespa cede com realização de lucros após bater 110 mil pontos; CVC salta 5%

25/11/2020 - 12:22
Ibovespa Ações Mercados B3SA3
O movimento de euforia global na busca por ativos mais sensíveis ao ciclo econômico, avalia o BTG (Imagem: B3/Linkedin)

A bolsa paulista não mostrava um viés claro nos primeiros negócios desta quarta-feira após ganhos nas últimas duas sessões que fizeram o Ibovespa encostar nos 110 mil pontos. Investidores digeriam uma bateria de dados norte-americanos divulgados nesta manhã, antes de feriado nos Estados Unidos na quinta-feira.

Às 12:22 (horário de Brasília), o Ibovespa (IBOV) cedia 0,27%, a 109.946,59 pontos.

Na véspera, o Ibovespa subiu mais de 2%, renovando máximas desde fevereiro, beneficiado pelo apetite a risco global, na esteira de dados promissores sobre a eficácia de vacinas contra o coronavírus, além de otimismo com a transição de poder nos EUA.

Uma bateria de dados econômicos dos EUA também ocupavam as atenções, entre eles um aumento não esperado nos pedidos semanais de auxílio-desemprego, enquanto a pauta da tarde reserva a ata da última reunião do Federal Reserve.

Em Wall Street, o S&P 500 (SPX) cedia 0,28%. Na quinta-feira, as bolsas em Nova York estarão fechadas em razão do Dia de Ação de Graças.

A equipe do BTG Pactual (BPAC11) observou que, apesar de incertezas atreladas ao ambiente político no Brasil, o movimento de euforia global na busca por ativos mais sensíveis ao ciclo econômico promoveu uma forte recuperação do Ibovespa.

“Estamos em um momento onde o apetite a risco tem sido muito grande por não haver outra opção de rendimento atrativo”, disse em nota a clientes, acrescentando que segue analisando apenas boas oportunidades com boa estratégia de crescimento para 2021.

Destaques

Itaú ITUB4
Itaú e bancos, em geral, têm sessão de ajustes (Imagem: Reuters/Sergio Moraes)

Itaú Unibanco (ITUB4) e Bradesco (BBDC4) cediam 1,3% e 1,25%, respectivamente, em meio a ajustes, após forte recuperação em novembro, com o acumulado no mês ainda mostrando elevação ao redor de 25% cada

Petrobras (PETR4) recuava 1,26%, também corrigindo valorização expressiva recente, apesar do sinal positivo nos preços do petróleo. No mês, os papéis avançam quase 37%.

CVC Brasil (CVCB3) avançava 5,02%, tendo de pano de fundo que a agência de risco S&P elevou o rating em escala nacional da companhia para ‘B’, com perspectiva em desenvolvimento, ante nota ‘CCC-‘ e perspectiva negativa.

Equatorial (EQTL3) valorizava-se 3,72%, após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovar Revisão Tarifária Extraordinária da Equatorial Piauí, com efeito médio a ser percebido pelo consumidor de 3,48%.

Vale (VALE3) cedia 0,15%, em dia misto no setor de mineração e siderurgia após valorizações recentes. Gerdau (GGBR4) perdia 0,71%, mas Usiminas (USIM5) subia 0,72% e CSN (CSNA3) tinha variação positiva de 0,04%.

Embraer (EMBR3) recuava 1,78%, também sofrendo com realização de lucros após forte elevação em novembro, sendo que apenas nos últimos dois dias subiu 6,5%.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Simões - 25/11/2020 - 12:23