ImóvelTimes

Ifix acumula oito pregões negativos e atinge mínima do ano; fundos imobiliários reciclam portfólio

14 jun 2024, 9:26 - atualizado em 14 jun 2024, 9:26
fundos - imobiliários - ifix - imóveis
(Imagem: Creativa Images/ Canva Pro)

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) fechou o pregão de quinta-feira (13) em queda de 0,63%, cotado aos 3.299,62 pontos, caindo pela primeira vez em 2024 abaixo dos 3.300 pontos. Este é pior desempenho do índice desde dezembro do ano passado.

Junho já soma oito quedas consecutivas, ficando apenas um dia no positivo. Com isso, o IFIX acumula perda de 1,81%. No ano, o índice tem um desempenho negativo de 0,47%.

A semana foi conturbada principalmente no cenário doméstico. Apesar da decisão dos juros americanos e dos dados melhores do que o esperado sobre os preços ao consumidor nos Estados Unidos, os ruídos domésticos pesam no mercado brasileiro, que tem acumulado perdas também no Ibovespa (IBOV).

Além dos dados da inflação oficial do Brasil acima do esperado com alta de 0,46% em maio, preocupações com o cenário fiscal pressionam o apetite a risco.

No início da semana, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciou decisão de devolver ao presidente a Medida Provisória que restringe a compensação de créditos de PIS/Cofins,

Acontece que a MP foi editada pelo Ministério da Fazenda para cobrir o rombo gerado pela desoneração da folha salarial, que irá gerar uma perda de arrecadação de R$ 29 bilhões.

Somado a isso, o mercado também já está de olho na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) na próxima semana que, na avaliação dos analistas, pode manter os juros inalterado pela primeira vez após sete cortes consecutivos, em 10,50%.

As maiores altas e baixas do dia

Entre os destaques positivos do dia estava o Tordesilhas EI (TORD11), que avançava 2,11%, valendo R$ 1,45. Na sequência, apareciam os fundos Ourinvest JPP (OUJP11), com alta de 1,89%, a R$ 85,08, e o WHG Real Estate (WHGR11), com valorização de 0,95%, a R$ 9,59.

Fundo Ticker Variação (positiva) R$
Tordesilhas EI TORD11 2,11% 1,45
Ourinvest JPP OUJP11 1,89% 85,08
WHG Real Estate WHGR11 0,95% 9,59
XP Properties XPPR11 0,82% 18,42
Top 7556 FI Multimercado Credito Privado KCRE11 0,62% 9,68

Na ponta negativa, estava o Santander Renda de Aluguéis (SARE11), que recuava 3,12%, a R$ 45,02. RBR Alpha Multiestratégia Real Estate (RBRF11) caia 2,96%, cotado a R$ 7,21, enquanto BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11) desvalorizava 2,47%, a R$ 8,30.

Fundo Ticker Variação (negativa) R$
Santander Renda de Aluguéis SARE11 3,12% 45,02
RBR Alpha Multiestratégia Real Estate RBRF11 2,96% 7,21
BTG Pactual Fundo de Fundos BCFF11 2,47% 8,30
XP Selection XPSF11 2,32% 7,58
RBR Logística RBRL11 2,31% 77,47

Destaques para além do IFIX

  • RBVA11 assina documento para a alienação de imóveis e lucra R$ 5,1 milhões 

O fundo imobiliário Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11) informou aos seus cotistas que assinou a escritura pública de compra e venda de dois dos seus imóveis localizados em São Paulo.

Com a finalização da transação, o fundo gerou um lucro de R$ 5,1 milhões, sendo R$ 0,42 por cota. O valor total da operação foi de R$ 14,5 milhões, 62,3% acima do custo de aquisição e 43,6% acima do custo de laudo dos imóveis.

  • XPLG11 desembolsa R$ 309,8 milhões para compra de imóvel em RS

Em comunicado ao mercado nesta quinta-feira (13), a administradora do fundo XP Log (XPLG11) informou a aquisição do imóvel GLP Gravataí, no Rio Grande do Sul, por R$ 309.850.090,18, por meio da aquisição de 100% das ações da Rec Grataí.

A administradora estima que os rendimentos provenientes exclusivamente da receita oriunda da exploração comercial do imóvel serão de, aproximadamente, R$ 0,8902 por cota nos próximos 12 (doze) meses, correspondente à média mensal de aproximadamente R$ 0,0742 por cota.

No comunicado, o fundo ressalta que o imóvel não foi afetado pelas enchentes do RS e que ele encontra-se 100% alugado.

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua há 3 anos na redação e produção de conteúdos digitais no mercado financeiro. Anteriormente, trabalhou com produção audiovisual, o que a faz querer juntar suas experiências por onde for.
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua há 3 anos na redação e produção de conteúdos digitais no mercado financeiro. Anteriormente, trabalhou com produção audiovisual, o que a faz querer juntar suas experiências por onde for.
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.