Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Índia pode se tornar hub de exportação de turbinas eólicas

30/07/2019 - 13:03
A Índia está bem posicionada para ser um centro de produção para a indústria eólica e emerge como parte importante da cadeia de fornecimento global, segundo Ben Backwell (Imagem: Pixabay)

Fabricantes globais de turbinas eólicas estão expandindo a capacidade de produção na Índia para impulsionar as exportações do país do sul da Ásia, mesmo com os obstáculos enfrentados pela indústria doméstica.

A Índia está bem posicionada para ser um centro de produção para a indústria eólica e emerge como parte importante da cadeia de fornecimento global, segundo Ben Backwell, presidente da associação Global Wind Energy Council. “O custo de produção na Índia é muito competitivo, e a engenharia é muito forte”, disse por telefone. “Pode superar qualquer um.”

A Vestas Wind Systems, fabricante de turbinas eólicas dinamarquesa, anunciou no início do mês que pretende abrir uma fábrica de montagem e hub de nacele na Índia, que deve entrar em operação no ano que vem. A empresa espera aumentar a “capacidade de exportação da Índia com o objetivo de torná-la um hub global de produção de energia renovável”.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Os anúncios surgem em um momento em que o setor de turbinas eólicas do país enfrenta uma queda dos pedidos após o primeiro-ministro Narendra Modi ter escolhido os leilões de 2017 como o método preferido para instalar projetos eólicos. A medida reduziu o volume de pedidos para fabricantes nacionais como a Suzlon Energy e a Inox Wind, embora o país tenha como meta alcançar 175 gigawatts de capacidade de energia renovável instalada até 2022.

Embora a transição para os leilões tenha resultado em tarifas mais baixas, aumentar essa nova capacidade enfrenta obstáculos para a aquisição de terras e acesso à rede. A Índia instalou menos de 2 gigawatts de projetos eólicos anualmente nos últimos dois anos, com a maior parte de seus 13,5 gigawatts de capacidade de produção fabril não utilizados.

Se a atual taxa de instalação doméstica continuar depois de 2021, o setor no país estaria em apuros, disse D.V. Giri, secretário-geral da Indian Wind Turbine Manufacturers Association.

Mas a robusta rede de fornecimento da Índia pode estar ajudando a atrair empresas estrangeiras que buscam transportar equipamentos de energia eólica para mercados estrangeiros.

“A Índia se tornou muito competitiva do ponto de vista da exportação”, disse Amit Kansal, diretor-gerente da unidade na Índia da alemã Senvion, que planeja expandir as instalações existentes no estado ocidental de Maharashtra e obteve uma licença de exportação para lâminas. “Quase 90% da cadeia de fornecimento está disponível na Índia, desde caixas de câmbio a geradores, pás, torres etc.”

Última atualização por Diana Cheng - 30/07/2019 - 13:03