ImóvelTimes

Índice de fundos imobiliários dispara e cotistas voltam a sonhar com máxima histórica; vem em 2023 ou 2024?

21 dez 2023, 13:46 - atualizado em 21 dez 2023, 15:32
fundos imobiliários fiis ifix prédios
Índice de fundos imobiliários (Ifix) engata sétimo dia de valorização e retorna aos patamares de setembro (Foto: Flávya Pereira/Money Times)

O índice de fundos imobiliários (Ifix) da B3 não para de subir e engata a sétima alta seguida no pregão desta quinta-feira (21) mantendo-se firme acima dos 3.200 pontos.

Na maior sequência de ganhos desde junho, o índice de FIIs saiu do patamar de 3.170 pontos na semana passada para níveis perto de 3.230 pontos.

Com isso, por volta das 13h45 (de Brasília), o Ifix avançava 0,47%, aos 3.227 pontos, no maior patamar desde 25 de setembro.



O sonho da máxima histórica

Às vésperas do fim de 2023 e com a redução de liquidez, será que o Ifix tem fôlego para finalmente chegar à máxima histórica de 3.253 pontos, alcançada em janeiro de 2020?

Ainda não dá para saber. Porém, a classe de ativos deverá ter um 2024 promissor, diz o especialista em fundos imobiliários na WIT Invest, Cezar Gonçalves Filho.

“Com a queda de juros [Selic] aqui e lá fora, podemos esperar bons retornos para FIIs de recebíveis [ou papel] descontados. Como também para o segmento de shoppings, que estão com bons fundamentos no curto prazo”, comenta.

Filho acrescenta que esse cenário de afrouxamento monetário também é positivo para as demais classes de fundos de tijolo no médio e longo prazo.

“Desta forma, a atenção deve ficar por conta de saber o melhor momento de abandonar o barco dos recebíveis na pós-valorização e mudar o foco para os fundos de tijolo com boas perspectivas”, observa.

Bolsas internacionais tiveram um ano de ganhos expressivos, mas o que esperar de 2024? Confira as melhores teses de investimentos do cenário norte-americano no Giro do Mercado desta quarta-feira (21). Clique aqui!

Fundos imobiliários de destaque

Entre os mais de 100 fundos listados, o JS Real Estate Multigestão (JSRE11) liderava os ganhos, de 2,5%, no horário acima.

Por outro lado, o fundo imobiliário Polo Recebíveis Imobiliários II (PORD11) passa por correção depois de oito pregões seguidos de valorização e lidera as perdas do dia, perto de 1%.

*As cotações citadas são do site Investing.com

Repórter
Jornalista mineira com experiência em TV, rádio, agência de notícias e sites na cobertura de mercado financeiro, empresas, agronegócio e entretenimento. Antes do Money Times, passou pelo Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.
Linkedin
Jornalista mineira com experiência em TV, rádio, agência de notícias e sites na cobertura de mercado financeiro, empresas, agronegócio e entretenimento. Antes do Money Times, passou pelo Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.
Linkedin