Tecnologia

Inteligência artificial e finanças: Como a tecnologia pode garantir melhores resultados?

16 maio 2023, 16:22 - atualizado em 16 maio 2023, 16:22
Inteligência artificial
Profissionais acreditam que a inteligência artificial pode ajudar a aumentar a receita anual da organização em pelo menos 10% (Imagem: Adobe Stock)

A inteligência artificial e os avanços da tecnologia podem oferecer grandes retornos para os setores tributários e bancários, segundo a empresa de consultoria empresarial americana McKinsey.

Conforme a companhia, até 2030, espera-se a consolidação e geração de US$ 13 trilhões em termos globais ao redor da tecnologia. Dessa fatia, ainda segundo a consultoria, ambos os setores mencionados ocupam boa parte.

De 500 profissionais ligados a serviços financeiros, quase metade acredita que a inteligência artificial ajuda a aumentar a receita anual da organização em pelo menos 10%. As informações vieram do estudo “State of AI in Financial Services: 2023 Trends”, da Nvidia (NVDC34), que definiu as prioridades da indústria financeira com o uso de IA.

Os entrevistados também sinalizaram melhorias em operações, com 46% destacando a experiência do cliente, 35% as eficiências operacionais e 20% a redução de custo total de propriedade.

Além disso, o levantamento ainda apurou que uma das descobertas para ficar olho nos próximos anos é a computação em nuvem.

Vinícius Gallafrio, CEO da MadeinWeb, explica que a nuvem permite o acesso à distância de softwares, arquivos e processamento de dados através da internet, que também pode ser aplicada nos setores. “É uma maneira de reduzir custos e otimizar o desempenho, por conta da portabilidade de dados e padronizações possíveis”.

Inteligência artificial no dia a dia

O CEO da provedora de TI e transformação digital destaca que os profissionais da área tributária e dos bancos podem oferecer maior eficiência, precisão e satisfação ao cliente a partir da aplicação da IA no dia a dia.

Gallafrio avalia que os setores podem se tornar mais competitivos, fornecendo panoramas sobre o comportamento e preferências dos clientes – o que leva a um aperfeiçoamento na personalização de serviços.

Outro ponto destacado pelo executivo é a automação de processos manuais, porque os esforços dos colaboradores podem ser direcionados em tarefas melhores, como planejamento estratégico e desenvolvimento de novidades.

No setor tributário, Gallafrio diz que um exemplo de como a IA pode ser utilizada é em relação a conformidade fiscal.

“Com as mudanças nas normas, é necessário estar bem atento para não errar ou demorar demais nos processos tradicionais. Com a tecnologia, ferramentas como software de conformidade fiscal, alimentado por IA, podem simplificar, garantindo dados com precisão e rapidez”.

Nos bancos, a inteligência chega para facilitar o gerenciamento, com automatização de processos contábeis e insights em tempo real da saúde das finanças.

“Um software pode analisar dados para identificar benefícios fiscais e deduções que, de outra forma, poderiam passar despercebidos. O impacto é direto no gerenciamento de riscos”, diz.

E completa pontuando que os algoritmos trabalham rapidamente para identificar possíveis riscos, permitindo que tomem medidas antes que se transformem em grandes problemas.

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin