Política

Lula atravessa Tebet e põe Marcio Pochmann no IBGE; entenda a polêmica

27 jul 2023, 19:21 - atualizado em 27 jul 2023, 19:21
Lula e Tebet
(Imagem: Flickr/Simone Tebet)

Uma decisão do presidente Lula tem causado furor em Brasília nesta semana. A nomeação do economista heterodoxo Marcio Pochmann para a presidência do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou um enfraquecimento da ministra Simone Tebet (Planejamento e Orçamento) ante a administração federal.

Isso se deve ao fato de que Tebet havia declarado que a troca ‘seria um desrespeito com atual presidente da instituição‘ e que não conhecia Pochmann quando seu nome começou a ser sondado para a presidência do instituto. É a ministra quem, em tese, nomeia ou recomenda um presidente ao IBGE, subordinado a seu ministério.

Posteriormente, a ministra seria surpreendida pela nomeação de Pochmann -por Lula- para o órgão. Ela, no entanto, colocou panos quentes no assunto nessa quinta-feira (27) afirmando que ‘terá o maior prazer em atender o nome de Pochmann no Instituto’.

  • Federal Reserve retoma aperto monetário nos EUA: Como ficam os investimentos estrangeiros na B3? Entenda se o Ibovespa será prejudicado pela decisão com o analista-chefe João Piccioni clicando aqui. Aproveite e inscreva-se no nosso canal e fique ligado no Giro do Mercado, de segunda a sexta, às 12h.

Histórico de polêmicas

Atualmente presidente do Instituto Lula, Marcio Pochmann é formado em ciências econômicas pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e doutor pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Ele já publicou livros sobre economia e venceu, em 2022, o prêmio Jabuti na categoria Economia, Administração, Negócios e Direito, com o livro A Década dos Mitos.

Pochmann também já comandou o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Durante a presidência do órgão, o economista teria feito uma gestão ideológica, e demitido os economistas Regis Bonelli e Armando Castelar porque ambos não concordavam com ele.

O economista Edmar Bacha, um dos pais do plano real e ex-presidente do IBGE, se disse “ofendido” com a nomeação de Pochmann para o órgão. A declaração foi feita à CNN. Bacha também afirmou que o nome de Pochmann na presidência do instituto é ‘um perigo para as estatísticas’. O órgão é responsável, por exemplo, pela divulgação dos índices oficiais de inflação.

Uma das maiores polêmicas recentes de Pochmann foi uma postagem no Twitter contra o Pix, dizendo que o mecanismo seria um “passo na via neocolonial a qual o Brasil já se encontra ao continuar seguindo o receituário neoliberal”.

No mercado, a notícia também pegou mal. Rafael Passos, analista da Ajax Capital, afirmou em comentário divulgado que “os ruídos em torno da indicação de Pochmann existem devido à sua passagem durante o comando do Ipea”. O analista afirma que o economista “segue a escola mais heterodoxa” da economia.

repórter
Repórter formado pela PUC-SP, com passagem pelo Poder360, Estadão e Investidor Institucional. Tem pós-graduação em jornalismo econômico pela FGV-SP, através do programa Foca Econômico 2022, do grupo Estado. No Money Times, cobre política, mercados e também a indústria de armas leves no Brasil.
Linkedin
Repórter formado pela PUC-SP, com passagem pelo Poder360, Estadão e Investidor Institucional. Tem pós-graduação em jornalismo econômico pela FGV-SP, através do programa Foca Econômico 2022, do grupo Estado. No Money Times, cobre política, mercados e também a indústria de armas leves no Brasil.
Linkedin