Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

A melhor e as piores criptomoedas em março (não são as mesmas de sempre)

02/04/2018 - 15:08

Durante o mês de março vimos outra montanha-russa repleta de ação e confusão no mercado de criptomoedas. Uma série de desenvolvimentos importantes nas últimas quatro semanas pareceu influenciar o sentimento dos investidores em apoio a uma perspectiva otimista ou pessimista.

No lado otimista, houve algum alívio após a reunião do G20 na Argentina em meados de março, uma vez que o Financial Statability Board (FSB), que coordena a regulamentação financeira do Grupo das 20 Economias, resistiu às solicitações de alguns membros para reprimir o comércio de criptomoedas.

No entanto, de uma perspectiva pessimista, algumas das principais manchetes do mês passado incluíram relatos de que a Coréia do Sul proibiu todos os funcionários do governo de manter e negociar criptomoedas; a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (Securities and Exchange Commission – SEC) emitiu uma declaração dizendo que as plataformas on-line que negociam ativos digitais são consideradas valores mobiliários e precisam se registrar na agência; e finalmente o Twitter (NYSE:TWTR) impôs uma proibição à publicidade relacionada à criptomoedas, seguindo movimentos semelhantes do Google (NASDAQ:GOOGL) e Facebook (NASDAQ:{{26490|FB}) }) no início deste ano.

Além disso, do ponto de vista puramente técnico, a maioria das criptos está em tendência clara de baixa, negociando abaixo de suas respectivas médias móveis de 200 dias, bem como em níveis abaixo de suas linhas de tendência de baixa, o que geralmente sinaliza mais perdas à frente. Não é de surpreender que, ao levar esses desenvolvimentos em consideração, os preços de quase todas as principais criptomoedas de grande nome, incluindo bitcoinbitcoin cashrippledash e litecoinafundaram este mês.

Das 19 moedas digitais com capitalização de mercado superior a US$ 1 bilhão, 18 terminaram o mês em território negativo. Surpreendentemente, e em contraste gritante, apenas uma terminou março com ganhos, destacando o quão feio o mês passado foi para as criptomoedas.

Abaixo, vamos dar uma olhada em alguns dos maiores perdedores, as moedas alternativas que sofreram as maiores quedas ao longo do mês passado e destacar a única moeda que conseguiu superar e desafiar o colapso do mercado.

[Nota do Editor: Esta postagem não deve ser considerada um endosso, nem um conselho de investimento. É apenas uma reportagem. Faça sua devida diligência antes de investir em qualquer ativo ou classe de ativos. As estatísticas das moedas foram coletadas no sábado, 31 de março de 2018. Os valores podem diferir dependendo da data em que este artigo está sendo lido.]

Maiores Perdedores

1. NEO (NEO/USD): Alteração Percentual de Março: -62%

NEO, chamado de “ethereum chinês” por muitos aficionados em criptomoedas, porque foi lançado na China e é operacionalmente similar ao ethereum, é uma plataforma blockchain e criptomoeda que permite o desenvolvimento de ativos digitais e contratos inteligentes. O preço de uma moeda do NEO foi negociado em US$ 128,37 em 1º de março, antes de cair para US$ 49,56 em 31 de março, seu nível mais fraco desde 22 de dezembro.

Terminou o mês em US$ 50,22, representando uma queda mensal de 62%. No acumulado do ano, o NEO caiu cerca de 40% após o início do ano em US$ 75,02. Atingiu seu nível mais alto já registrado, de US$ 193,70, em 15 de janeiro. A preços atuais, o NEO é a nona maior criptomoeda em circulação, com uma capitalização de mercado de aproximadamente US$ 3 bilhões.

As perdas durante o mês passado não foram provocadas por nenhum evento em particular, mas sim pela tendência geral de baixa que tomou conta do mercado de criptomoedas nas últimas semanas. Do ponto de vista técnico, o NEO/USD precisa recuperar sua média móvel de 50 dias (DMA) em cerca de US$ 58,50 para reduzir a pressão imediata nos preços. Quando este obstáculo estiver limpo a moeda pode tentar a sua sorte em recuperar seu 100-DMA acima do nível de US$ 65.

No lado negativo, qualquer movimento sustentado abaixo do nível de suporte de US$ 45,00 pode desencadear um sell-off massivo em US$ 30, que é o próximo nível de suporte mantido em dezembro.

2. Ethereum (ETH/USD): Alteração Percentual de Março: -53,8%

ethereum é uma plataforma de software aberta baseada na tecnologia blockchain que permite aos desenvolvedores criar e implantar aplicativos descentralizados que executem contratos inteligentes. Foi proposto no final de 2013 por Vitalik Buterin, pesquisador e programador de criptomoedas, e lançado em 2015. Atualmente é a moeda digital número 2 mais popular por capitalização de mercado.

O preço de um ethereum estava em US$ 869,24 em 1 de março, antes de cair para US$ 364,66 em 30 de março, seu nível mais fraco desde 22 de novembro de 2017. Terminou o mês em US$ 392,97, com uma perda de cerca de 53,8%. O ethereum caiu cerca de 51% até agora este ano, depois de começar em US$ 737.77 em 1 de janeiro. Teve um pico histórico de US$ 1.423,20 em 13 de janeiro.

Nos níveis atuais, o ethereum tem uma capitalização de mercado de aproximadamente US$ 37,4 bilhões, perdendo apenas bitcoin.

Como o restante do mercado cripto, o ethereum tem estado em uma espiral descendente nas últimas semanas, sem um catalisador fundamental específico que tenha impulsionado o acentuado movimento descendente. Alguns no mercado atribuíram o declínio acentuado dos preços a uma recente postagem de Buterin, no qual ele propunha iniciar “taxas de aluguel” que seriam cobradas dos indivíduos que usam a rede Ether para armazenar dados.

Em termos do gráfico técnico, a ação não parece construtiva, desde que os preços permaneçam abaixo das suas médias móveis de 50, 100 e 200 dias. Isso indica dominância completa dos bears. Se a zona de suporte de US$ 350 for rompida, a próxima zona de suporte ficará entre US$ 275 e US$ 300.

3. Cardano (ADA/USD) Alteração Percentual de Março: -50,5%

cardano é uma plataforma de tecnologia que opera a criptomoeda ada. Lançada pela empresa de desenvolvimento blockchain Input Output Hong Kong (IOHK) e liderada por Charles Hoskinson, antigo cofundador do ethereum e da BitShares, a plataforma é capaz de executar aplicações financeiras, contratos inteligentes e aplicações descentralizadas.

O preço do cardano em 1º de março era de US$ 0,30001, antes de cair aproximadamente 50,5%, para terminar o mês em US $ 0,15020. A moeda digital caiu para uma baixa histórica de US$ 0,12330 em 18 de março.

Atualmente, é a sétima moeda alternativa mais valiosa em circulação, com uma capitalização de mercado de aproximadamente US$ 3,7 bilhões. O cardano caiu cerca de 80% até agora este ano, fazendo dele a criptomoeda com pior desempenho até o momento em 2018.

Na maior parte, não houve nenhuma razão particular para o enorme crash no preço do cardano. Alguns apontaram para o fato de que é muito popular entre os operadores da Coréia do Sul (mais de 41% de todas as transações de cardano processadas em março foram feitas na exchange de criptomoedas sul-coreana Upbit). Assim, alguns especularam que a abordagem mais rígida sobre os ativos digitais adotada pelos reguladores no país e sua repressão às questões de anonimato e lavagem de dinheiro podem ter afetado a dinâmica dos preços do cardano.

A partir de uma visão técnica, o ADA/USD precisa subir acima do 50DMA, perto de US$ 0,1640 no curto prazo para aliviar a implacável pressão de venda. No longo prazo, o cardano precisa recuperar seu 100DMA, em US$ 0,1766, para uma recuperação prolongada.

No entanto, se a atual tendência de baixa persistir, o ADA poderá recuar para testar novamente sua baixa recente em torno da alça de US$ 0,12.

Menções Não Tão Honrosas

Além das três moedas digitais mencionadas acima, os grandes perdedores no último mês incluíram:

O Único Ganhador

1. Binance Coin (BNB/USD) Alteração Percentual de Março: +5,7%

binance coin é a token virtual assinatura da famosa exchange cripto sediada na China Binance, que suporta cerca de 100 moedas digitais e é uma das principais exchanges mundiais para bitcoin, ethereum e tether. Lançado em julho de 2017, o BNB é usado como método alternativo para pagar as taxas de negociação da Binance.

O binance coin encerrou março em US$ 11,0510, um ganho de aproximadamente 5,7% ao mês. Seu preço de abertura em 1 de março foi de US$ 10,4970, antes de subir até 30%, para um pico de dois meses de US$ 14,9300 em 24 de março.

A preços atuais, tem uma capitalização de mercado de quase US$ 1,1 bilhão, tornando-se a 19ª maior moeda digital. O BNB subiu para um recorde de US$ 24,64 em 12 de janeiro.

O binance coin tem superado as outras moedas no atual mercado de baixa. A moeda está em alta demanda graças à crescente popularidade da exchange Binance.

Essa tendência positiva em meio ao mar de negatividade atualmente dominando o mercado de criptomoedas não deve ser subestimada.

De um ponto de vista técnico, a ação de preço parece otimista, desde que se mantenha acima das principais médias móveis e linhas de tendência. Um intervalo bem-sucedido e próximo da alta de março, em torno de US$ 15,00, abriria as portas para ganhos adicionais.

Por Investing.com

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: ,

Última atualização por Gustavo Kahil - 02/04/2018 - 15:08

Cotações Crypto
Pela Web