Milho futuro roça os R$ 100 na B3 e se alinha ao custo da saca importada

Giovanni Lorenzon
20/01/2022 - 15:17
Milho
Demanda interna dá suporte para preços futuros na B3 e no mercado físico (Imagem: Pixabay/webandi)

Há dois pregões o milho na B3 (B3SA3) arranha os R$ 100, ameaçando a voltar aos patamares do primeiro semestre de 2021, apesar de naquele período o potencial externo de demanda estava presente, ao contrário de agora.

Apesar do ajuste desta quinta (20), no contrato março, que cede 0,29%, a R$ 99,70, depois de saltar mais de R$ 3 em dois dias.

Esse preço negociado é o que a indústria está pagando pela saca do cereal importado, avalia Vlamir Brandalisse, consultor da Brandalizze Consulting.

O valor se alinha, naturalmente, ao custo da saca no físico na praça cerealista de Campinas, dentro da lógica de crescimento da demanda e descasamento da oferta, sobretudo pela quebra do milho de verão no Brasil.

Já há uma expectativa de se plantar uma boa safrinha, o ciclo de inverno, que em alguns núcleos do oeste paranaense já têm havido tentativa de semeadura, onde a soja já foi tirada, mas sob temor do forte calor.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 20/01/2022 - 17:56

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto