Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Nem Lula, nem Bolsonaro: Outsider pode ganhar força nas eleições de 2018

06/03/2018 - 12:27
“Nota-se elevado percentual de votos brancos, nulos e indecisos nas simulações de primeiro e de segundo turnos”

O cenário traçado pela pesquisa CNT/MDA sobre as eleições de 2018 revela um alto descontentamento do público com os governantes tradicionais, conforme mostram os números dos votos inválidos.

Gostou desta notícia? Receba nosso conteúdo gratuito

No 1º turno, sem Lula, Jair Bolsonaro teria 20%, Marina Silva 12,8%, Geraldo Alckmin 8,6%, Ciro Gomes 8,1%, Álvaro Dias 4%, Fernando Haddad 2,3%, Fernando Collor 2,1%, Manuela D´Ávila 1,3%, Michel Temer 1,3% e Rodrigo Maia 0,8%. Os brancos, nulos e indecisos, somam 38,7%.

Já no 2º turno, também sem o ex-presidente, uma disputa entre Bolsonaro (26,7%) e Alckmin (24,3) tem 41,6% de brancos e nulos, mais 7,4% de indecisos. Entre Marina Silva (26,3%) e Alckmin (24,6%), os brancos e nulos sobem a 42,5% e os indecisos ficam em 6,6%.

“Nota-se elevado percentual de votos brancos, nulos e indecisos nas simulações de primeiro e de segundo turnos e alta taxa de rejeição a todos os candidatos, o que possibilita o surgimento de outsiders que podem conquistar o voto desses eleitores”, ressalta o levantamento.

A rejeição também é altíssima. Dos entrevistados, 47,8% não votariam de jeito nenhum em Ciro Gomes, 50,7% em Alkmin, 50,4% em Bolsonaro, 46,7% em Lula, 53,9% em Marina Silva, 88% em Michel Temer, e 55,8% em Rodrigo Maia.

Os “outsiders” ainda não aparecem na pesquisa da CNT.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Gustavo Kahil - 06/03/2018 - 12:27